OBJETIVOS DO BLOGUE

Olá, bem-vindo ao blog "Chaves para a Sabedoria". A página objetiva compartilhar mensagens que venham a auxiliar o ser humano na sua caminhada espiritual. Os escritos contém informações que visam fornecer elementos para expandir o conhecimento individual, mostrando a visão de mestres e sábios, cada um com a sua verdade e experiência. Salientando que a busca pela verdade é feita mediante experiências próprias, servindo as publicações para reflexões e como norte e inspiração na busca da Bem-aventurança. O blog será atualizado diariamente com postagens de textos extraídos de obras sobre o tema proposto. Não defendemos nenhuma religião em especial, mas, sim, a religiosidade e a evolução do homem pela espiritualidade. A página é de todos, naveguem a vontade. Paz, luz, amor e sabedoria.

Osmar Lima de Amorim


quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

A SABEDORIA DE SERVIR


"Toda a natureza é um anelo de “servir”.

Serve a nuvem, serve o vento, serve a chuva.

Onde haja uma árvore para plantar, planta-a tu; onde haja um erro para corrigir, corrige-o tu; onde haja um trabalho e todos se esquivem, aceita-o tu.

Sê o que remove a pedra do caminho, o ódio entre os corações e as dificuldades do problema.

Há a alegria de ser puro e a de ser justo, mas há, sobretudo, a maravilhosa, a imensa alegria de servir.

Que triste seria o mundo se tudo se encontrasse feito, se não existisse uma roseira para plantar, uma obra para se iniciar!

Não te chamem unicamente os trabalhos fáceis.

É muito mais belo fazer aquilo que os outros recusam.

Mas não caias no erro de que somente há méritos nos grandes trabalhos; há pequenos serviços que são bons serviços: adornar uma mesa, arrumar teus livros, pentear uma criança.

Aquele é o que critica; este é o que destrói: sê tu o que serve.

O servir não é faina de seres inferiores. Deus, que dá os frutos e a luz, serve. Seu nome é: “Aquele que serve”. Ele tem os olhos fixos em nossas mãos e nos pergunta a cada dia: Serviste hoje? A quem? À árvore? A teu irmão? À tua mãe?."

(A Essência da Sabedoria – A Arte de Viver – p. 19/20 – In: Sabedoria Universal, Paulo Lotufo, São Paulo, 1970)


SOMENTE A BEM-AVENTURANÇA DIVINA É ETERNA


"Todo coração humano anseia por amor. E todas as formas de amor humano – aquelas entre pais e filhos, marido e mulher, patrão e empregado, amigo e amigo, guru e discípulo – vêm do Amor Único, que é Deus.

Todo coração humano também está buscando a felicidade. É o objetivo da vida. (...) O desejo de ser feliz e o de amar e ser amado são as forças motivadoras por trás de todas as nossas atividades e ambições.

Os sábios da Índia têm dito que Deus é Bem aventurança sempre existente, sempre consciente, sempre nova. Eles nos dizem que a felicidade que procuramos, a alegria que perdurará para sempre e nunca envelhecerá deve ser encontrada em Deus. E onde Ele está? Sua imagem divina reside em cada ser humano, como alma. Não conhecemos a paz divina da percepção da alma porque voltamos nossa atenção e nossa busca para as coisas deste mundo. Devemos lembrar que a felicidade alcançável na Terra é condicional e efêmera. Só a bem aventurança divina é eterna.

Amor e alegria, em suas formas mais puras, só podem ser encontrados em Deus. Todavia, em vez disso, nós os procuramos em todos os outros lugares. É somente quando enfrentamos severas provações e muita dor que começamos realmente a pensar em Deus e dedicar um pouco de tempo à adoração – oração, puja ou a recitação de um mantram. Mas chega a hora em que tais observâncias externas não nos satisfazem. Se a mente estiver vagando aqui e ali, a oração é ineficaz, e a repetição de mantrams e a prática de japa deixam de trazer a resposta de Deus que a alma anseia."

(Sri Daya Mata – Só o Amor – Self-Realization Fellowship -  p. 173/174)


quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

A EXPRESSÃO DO ABSOLUTO


"Aquela jovem, linhas bonitas e sorrisos fáceis, vida-promessa, é uma expressão do Absoluto.

Este velho, pobre resto de vida, escombro de gente, em sua miséria fétida, com sua feiura e dor, também é expressão do Absoluto.

Os iludidos limitam o Infinito, e acham que está em alguns, noutros não; que está em certos lugares e não noutros.

Os iludidos não conhecem o milagre da equanimidade.

Os “que têm olhos de ver” veem o Invisível sob todas as aparências, sejam atraentes, sejam repelentes. É por isso que as perdas não os deprimem nem os lucros os corrompem."

(Hermógenes – Mergulho na paz – Ed. Nova Era, Rio de Janeiro - p. 107)


COMO LER O CARÁTER

"Estudando o caráter dos outros, podemos perceber com mais nitidez as possibilidades de melhorar nossa própria natureza. No entanto, estudar o caráter de maneira negativa não é correto e tem um efeito devastador. Todos fogem de um "detetive de caráter", aquele que aponta as imperfeições alheias. Muita gente que adora criticar não suporta ser criticada e pode até ter os mesmos defeitos que tão virtuosamente deplora nos outros.

Basicamente, o estudo do caráter é importante em um aspecto: a necessidade constante de perceber virtudes nos outros e implantar essas nobres qualidades em si mesmo. Eu estudo o caráter quando escolho as pessoas com quem vou trabalhar. Mas adoto um ângulo de visão inteiramente diferente para a seleção. Às vezes, sei que alguém é "mau" e permito que fique comigo, na esperança de que mudará. Se responder ao meu pensamento espiritual por seu bem-estar, melhorará; se não... bem, corri o risco. Sou como um médico que arrisca expor-se a uma doença para ajudar um paciente. Todos os médicos sujeitam-se a esse perigo porque seu desejo é servir. O mesmo ocorre com o médico espiritual; ele empreende a tarefa de julgar outras pessoas e mostrar-lhes os defeitos, para ajudá-las a progredir.

Jesus disse: "Não julgueis, para não serdes julgados." Ele condenou a crítica que só se faz com o desejo de magoar os outros. Esse comportamento é cruel e destrói a amizade. A crítica não tem nenhuma utilidade, a menos que seja feita com amor sincero e apenas quando solicitada. Deve ser oferecida com o amoroso desejo de ajudar a outra pessoa. Os que aprenderam o autocontrole têm o direito de auxiliar os outros. Desse ponto de vista. o estudo do caráter é valioso."

(Paramahansa Yogananda - A Eterna Busca do Homem - Self-Realization Fellowship - p. 313/314)


terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

NADA PODE SER ALCANÇADO SEM A GRAÇA DIVINA


"- Deus é pura graça. Ele revela Sua graça a todos os que buscam por Ele com sinceridade no coração. Quando oramos, Ele nos concede o desapaixonamento, o anseio por Ele e o correto entendimento. (...)

- O Mestre costumava contar a parábola da mulher que trabalhava como empregada doméstica de um homem muito rico. Ela tratava da casa e dos objetos de seu patrão como se fossem seus e cuidava dos filhos dele como se fossem seus próprios filhos, mas, interiormente, sabia que nada daquilo lhe pertencia. De forma semelhante, temos de viver neste mundo e cumprir nossos deveres, mas no fundo de nossos corações devemos entender que nada nem ninguém nos pertence. Os pés de lótus do Senhor são a nossa única e verdadeira morada e é para lá que devemos ir. Devemos descartar todas as formas de orgulho e ego e buscar refúgio em Seus pés.

-Quantos, porém, desejam buscar refúgio na Verdade e em Deus? Todo mundo acredita ser infalível. Iludido pelo egoísmo, o homem considera-se alguém muito importante. (...) Nada pode ser alcançado sem a graça divina. Busquem refúgio em Deus e Ele abrirá para vocês o portal do conhecimento infinito. Cumpram seus deveres no mundo e, simultaneamente, busquem refúgio no Senhor.

- Vocês devem primeiro conhecer Deus. Após a realização de Deus, podem viver no mundo que seus pés jamais trilharão o caminho errado. A maya do mundo não conseguirá enredá-los. A partir de então, não importa o caminho que seguirem – o do conhecimento, da devoção ou da ação – vocês e outros irão se beneficiar imensamente e o fato de terem nascido como seres humanos terá sido uma bênção."

(Swami Prabhavananda e Swami Vijoyananda - O Eterno Companheiro – Ed. Vedanta, São Paulo - p. 168/170)


OS OBSTÁCULOS SE DESTINAM A NOS FORTALECER

"Perceba que você ainda tem de ir muito longe no caminho que o conduz de volta a Deus, e como é importante elevar-se acima de problemas triviais que ocorrem na vida cotidiana. Ignore as alfinetadas das dificuldades. Elas distraem sua atenção do objetivo: encontrar Deus, estabelecer sua unidade com Ele, por meio da ação correta e da manifestação de Suas qualidades divinas em sua vida.

A estrada da vida está cheia de muitas rochas de provas e tribulações. Não podemos esperar que Deus as remova de nosso caminho, mas podemos Lhe pedir que nos dê força e sabedoria para evitar que tropecemos nelas. Deus não pretende que não tenhamos obstáculos na vida, porque nesse caso continuaríamos fracos. Ele deseja que nós, ao superá-los, nos tornemos mais fortes.

Para conseguir essa força, só necessitamos seguir uma fórmula simples: aumentar nosso amor pela Mãe Divina. Com a expansão de nosso sentimento por Deus, no fundo do coração, toda a montanha de dificuldade se reduz a um montículo. Tudo o que antes parecia impossível de alcançar torna-se realizável."

(Sri Daya Mata - Só o Amor - Self-Realization Fellowship - p. 229/230)


segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

VIVAM PARA O BEM DO MUNDO


"Se desejarem fazer o bem ao mundo, devem agir sem pensar em si mesmos. O mundo está repleto de gente que, por vezes, irá tentar recompensar o bem que vocês lhes fizeram com o mal. (...)

Essa é a natureza do mundo. A verdade é que, por sua própria natureza, os bons sempre farão o bem e os maus farão o mal.

Certa vez, um homem santo meditava sentado à beira de um rio. De súbito, notou que um escorpião flutuava sobre as águas. Penalizado, retirou-o da água com a palma das mãos, mas, na mesma hora, o escorpião o picou. O homem santo sentiu uma dor excruciante e, segundos depois, o escorpião caiu na água outra vez. De novo, o homem santo ajudou o animal retirando-o da água e, mais uma vez, o escorpião o picou. Quando o mesmo fato aconteceu pela terceira vez, um homem que havia presenciado a cena perguntou:

- Por que o senhor continua a ajudar o escorpião se ele o pica todas as vezes?

- A natureza do escorpião é picar – respondeu o homem santo – e a minha é ajudar; se o escorpião não trai sua natureza, por que devo eu trair a minha?

A mente pode mover-se em sentido ascendente ou descendente. Inveja, egoísmo, desejo pelos prazeres sensuais e preguiça determinam movimentes descendentes, enquanto fé, devoção a Deus, amor e simpatia indicam movimentos ascendentes."

(Swami Prabhavananda e Swami Vijoyananda - O Eterno Companheiro – Ed. Vedanta, São Paulo - p. 269/270)


SABEDORIA: A GRANDE META


"Todos nós queremos e precisamos progredir na vida. Mental, material e espiritualmente.

Uma mente evoluída é uma mente equilibrada. Prosperidade material é sinônimo de conforto. E crescimento espiritual é consequência natural de viver com sabedoria.

Todos os três itens são importantes, mas é na sabedoria que mora nossa Vida Querida.

Para ser sábio não é preciso ser culto. O culto e o sábio não se confundem.

Cultura é quantidade de informações, e sabedoria é qualidade de vida.

É sábio aquele que alcança a harmonia, trilhando o caminho da ponderação. Essa harmonia de que falamos é resultado da comunhão com o Mundo Mágico de Deus.

A sabedoria não tem compromisso com os resultados materiais. Tem, isso sim, convênio firmado com a felicidade. É inevitável ser feliz quando se é sábio...

E por quê?

Ora, viver com sabedoria é ter o amor como ponto de referência. É deixar que os sentimentos puros prevaleçam, sobretudo nos momentos de aflição, pois estes requerem melhor decisão.

Viver com sabedoria é aprender não só a enfrentar a dor, como também a evitá-la. Pois, se o sofrimento é fonte de experiência, nem todos os caminhos da evolução passam necessariamente por ele.

Viver com sabedoria é ser silenciar, avaliar e escolher. É pactuar com a serenidade, definir o momento exato para formatar o sensato.

Busque o melhor. Faça da "sabedoria" a sua grande meta."

(A Essência da Sabedoria – A Arte de Viver – p. 10/11 – In: Vida Positiva, Olavinho Drummond,  Editora Gente, São Paulo, 1995).
http://www.martinclaret.com.br/home/


domingo, 24 de fevereiro de 2013

TRANSFORME SEU ESTADO DE MENDIGO PARA FILHO DE DEUS


"O segredo da oração eficaz é transformar seu estado, de mendigo para filho de Deus. Quando você apelar para Ele com essa consciência, sua oração terá, ao mesmo tempo, poder e sabedoria.

Encontra-se escrito em João 1:12: “Mas a todos os que O receberam, deu-lhes o poder de serem feitos os filhos de Deus, mesmo aos que creem em Seu nome.” O oceano não pode ser contido em uma taça, a não ser que a taça se faça tão grande quanto o oceano. De modo similar, a taça da concentração e das faculdades humanas precisa ser ampliada pelo autodesenvolvimento; é diferente da simples crença.

Todos os que sabem como recebê-Lo podem, expandindo o poder da mente, realizar a divindade adormecida neles. Sendo filhos de Deus, temos domínio potencial sobre todas as coisas no universo, do mesmo modo que Ele tem."

(Paramahansa Yogananda – No Santuário da Alma – Self-Realization Fellowship - Ed. Lótus do Saber, Rio de Janeiro, p. 10/11)


TITIKSHA: A ARTE DA RESISTÊNCIA MENTAL

"Nenhuma sensação ou tortura mental poderá afetar você se sua mente se dissociar de se ancorar na paz e na alegria de Deus.

A capacidade de suportar tudo com equanimidade se denomina titiksha em sânscrito. Tenho praticado essa neutralidade mental. Já meditei uma noite inteira no meio da água gelada, no mais frio dos invernos. E também meditei da manhã à noite, sentado nas areias escaldantes da Índia. Com isso, adquiri grande força mental. Quando você pratica esse tipo de autodisciplina, a mente fica imune a qualquer circunstância perturbadora. Se você acha que não vai conseguir fazer alguma coisa é porque sua mente está escravizada. Liberte-se.

Não estou dizendo que você deve ser imprudente. Procure colocar-se, pouco a pouco, acima das perturbações. Resistência é o que você precisa ter. Seja qual for o problema, faça o supremo esforço de remediá-lo sem preocupação; e enquanto não for resolvido, pratique titiksha. Não é isso uma sabedoria prática? Se você é jovem e forte, à medida que fortalecer a mente e a vontade poderá praticar métodos mais rigorosos de autodisciplina, como eu fiz. 

Se você pensar que o inverno está chegando e que provavelmente ficará resfriado, não está desenvolvendo força mental, mas sim se comprometendo com certa debilidade. Quando achar que pode pegar um resfriado, resista mentalmente: "Vá embora! Estou seguindo precauções sensatas; não permitirei que a preocupação abra caminho para a doença por ter enfraquecido minha mente." Esta é a atitude mental correta. Do fundo do coração, sinceramente, faça sempre o melhor possível, mas sem ansiedade. A preocupação só serve para paralisar seus esforços. Se fizer o melhor, Deus estenderá a mão para ajudá-lo. (...)

Lembre-se de que a mente não pode sofrer nenhuma dor, a menos que aceite a sugestão de dor. A mente não pode sofrer pobreza nem qualquer outra coisa, a menos que aceita o dissabor da condição. Jesus foi tratado duramente - a vida dele foi cheia de problemas, obstáculos e incertezas - mas ele não se preocupou. Lembre-se você também é filho de Deus. Pode ser abandonado por todos, mas não será abandonado por Deus, porque Ele o ama. Não se preocupe nunca, pois Deus o fez à Sua imagem invencível.

Perceba que a presença infinita do Pai Celestial está sempre dentro de você. Diga a Ele: "Na vida e na morte, na saúde e na doença, não me preocupo, ó Senhor, pois sou Teu filho para todo o sempre." 

(Paramahansa Yogananda - Viva sem Medo - Self-Realization Fellowship - p. 36/38)


sábado, 23 de fevereiro de 2013

TORNEM SUAS VIDAS ABENÇOADAS COM A VISÃO DE DEUS

"Existem duas classes de homens. Os da primeira classe despertam para a vida espiritual assim que chegam à presença de homens santos. Ouvem seus ensinamentos, reconhecem a transitoriedade do mundo, mostram-se ansiosos para encontrar Deus e descobrir os mistérios da vida e da morte. Sem demora, dedicam-se à prática das disciplinas espirituais. Homens assim certamente alcançarão a iluminação.

Existem, porém, homens de outra classe. Embora lhes sejam apresentados os mais elevados ideais espirituais, eles não reagem a isso. Acreditam que viverão para sempre e que o mundo não pode girar sem sua presença. Imaginam que é pura tolice desistir dos prazeres do mundo em nome de algo desconhecido. Em consequência disso, permanecem enredados nas sombras. 

Existe o caminho do bem e o caminho prazeroso: um conduz à paz eterna; o outro ao sofrimento. Por isso, prefiram a trilha do bem. O tempo não espera por ninguém. Escolham seu caminho agora mesmo! Não percam mais um momento sequer! Tentem moldar suas mentes de tal forma que nelas não exista outro pensamento exceto Deus. Orem sinceramente a Deus, com todo o coração e alma: "Ó Senhor, conceda-me a capacidade de compreender. Liberte-me de todo sentimento de ego, ensine-me a submeter-me à Sua vontade. Faça de mim um filho Seu." (...)

Infeliz de verdade é aquele que, tendo recebido sua graça, não consegue reconhecê-la. Não deixem de desfrutar da suprema felicidade. Resolvam os mistérios da vida e da morte e transformem-se nos eternos companheiros de Deus. (...) Façam um pequeno esforço e icem as velas da devoção. A brisa espiritual que sopra eternamente os conduzirá à meta. Não olhem para trás. Sigam sempre em frente. Tornem suas vidas abençoadas com a visão de Deus."

(Swami Prabhavananda e Swami Vijoyananda - O Eterno Companheiro - Ed. Vedanta, São Paulo - p. 280/281)


COMO SE LIVRAR DAS PREOCUPAÇÕES

" (...) Se está sem dinheiro, você se sente desamparado: o mundo inteiro parece andar para trás. Contudo, preocupar-se não trará a solução. Ocupe-se e tome a seguinte decisão: "Sacudirei o mundo para obter a parte que me cabe. Não ficarei quieto até que o mundo satisfaça minhas necessidades." Toda pessoa que faz algum tipo de trabalho, mesmo que seja capinar um jardim, realiza algo de valor neste mundo. Por que não deveriam todos receber sua quota da abundância terrena? Ninguém precisa morrer de fome ou ser deixado de fora. 

O atual padrão monetário vai desaparecer, guardem bem estas palavras. O dinheiro cria o desejo de poder e, com frequência, torna seu possuidor indiferente ao sofrimento alheio. O acúmulo de riquezas pode ser positivo se a pessoa rica também tiver o desejo de ajudar os outros em suas necessidades. O dinheiro é uma bênção nas mãos dos altruístas, mas uma maldição na mão dos egoístas. (...) O ouro nos foi dado para que o usemos mas não pertence a ninguém, exceto ao Espírito Divino. Todos os filhos de Deus têm o direito de usar o ouro divino. Não admita fracasso, nem abra mão do que é seu por direito.

Deus fez de você Seu filho, mas você tornou-se um mendigo. Se está convencido de ser um mortal indefeso e permite que os outros o convençam de que não conseguirá um emprego, você já decretou na sua mente que está acabado. Nem destino, nem julgamento divino, mas sim o veredito pessoal sobre si mesmo é que o mantém pobre ou preocupado. O sucesso ou o fracasso são determinados na sua própria mente.

Mesmo contra a opinião negativa do resto da sociedade, se você manifestar - pela vontade que Deus lhe deu e que a tudo conquista - a convicção de que as dificuldades não poderão vencê-lo, sentirá um secreto poder divino invadi-lo e verá o magnetismo dessa convicção e desse poder lhe abrirem novos caminhos para solucionar os problemas.

Não lamente o estado em que você se encontra atualmente, e não se preocupe. Se não se entregar à preocupação e fizer o esforço correto, ficará tranquilo e certamente encontrará um mode de atingir seu objetivo. (...)

A preocupação é um desperdício de tempo e de energia. Em vez disso, use a mente para fazer um esforço positivo. É até melhor ser um materialista ambiciosa a realizar alguma coisa do que ser preguiçoso, pois o preguiçoso é abandonado pelos homens e por Deus. Muitas fortunas foram feitas por pessoas empreendedoras, mas não faça do dinheiro seu critério de sucesso. Muitas vezes, o que traz satisfação não é o dinheiro, mas a habilidade criativa exercida para ganhá-lo."

(Paramahansa Yogananda - Viva sem Medo - Self-Realization Fellowship - p. 31/34)


sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

A VERDADE É PLENAMENTE COMPREENDIDA SOMENTE QUANDO É VIVIDA

"Quando alguém percebe qualquer verdade profundamente, ou quando ama grandemente, não consegue falar facilmente desses sentimentos. Assim, para o devoto, é muito difícil pôr em palavras uma linda experiência com Deus. É tão divina, tão perfeita em si, que ele não deseja falar dela. Os santos dizem que, no momento em que uma experiência divina é descrita em palavras, ela se torna, até certo ponto, coberta de imperfeição. As palavras são um meio imperfeito, e por isso não conseguem transmitir a perfeição completamente. E o mesmo se dá com a Verdade. No momento em que apenas se fala da Verdade, ou de Deus, sem a vivenciar, alguma coisa se perde. Os ensinamentos de Jesus Cristo são um exemplo. Eles são corretamente interpretados somente quando nasce um São Francisco de Assis ou algum outro grande amante de Cristo. E tal devoto não está interessado tanto nas palavras quanto no espírito por trás delas; seu desejo é viver no espírito de Cristo. Esse espírito da verdade é o que Paramahansa Yogananda tentou transmitir àqueles que vieram receber seu treinamento. 

A maioria das pessoas não procura Deus ativamente porque não compreende que a verdadeira felicidade não será encontrada em outro lugar. O anseio humano por fama e poder, o desejo de abundância material e o anelo pelo reconhecimento dos outros, tudo provém do impulso natural da alma de expressar seu potencial infinito. A alma conheceu sua própria natureza perfeita - divinamente gloriosa e onipotente. Mas, no estado de ego iludido, não conhecemos essa perfeição da alma; temos apenas consciência de seus estímulos para manifestar nosso poder e glória inatos, interpretando-os mal."

(Sri Daya Mata - Só o Amor - Self-Realization Fellowship - p. 199/200)


A FÉ É O ILIMITADO PODER DE DEUS DENTRO DE CADA UM

"A fé é o ilimitado poder de Deus dentro de vocês. Deus sabe, através da própria consciência, que Ele criou todas as coisas; portanto, a fé significa conhecimento e convicção de que somos feitos à imagem de Deus. Quando estamos em sintonia com a Sua consciência dentro de nós, podemos criar mundos. Lembrem-se que em sua força de vontade está o poder onipotente de Deus. Quando aparece uma série de dificuldades e, apesar delas, vocês se recusam a desistir; quando suas mentes estiverem determinadas, então vocês receberão a resposta de Deus.

Deus sendo vibração cósmica, é o Verbo. Deus como Verbo está zumbindo através de todos os átomos. Existe uma música permeando o universo, que pode ser ouvida pelos devotos em meditação profunda.  (...)

Deus também fala ao homem através da intuição. Se aprenderem a ouvir a Vibração Cósmica, será mais fácil ouvirem a Sua voz. Mas, mesmo se apenas orarmos a Deus através do éter cósmico, se nossa vontade for suficientemente forte, o éter nos responderá com a Sua voz. Deus está sempre falando conosco e dizendo: 
"Chama-Me, fala comigo, do fundo de teu coração, do âmago de teu ser, das profundezas de tua alma, persistentemente, com dignidade, com determinação, com a resolução firme em teu coração de continuar Me procurando, sem te importares com as vezes em que Eu não respondo. Se incessantemente murmurares em teu coração: 'Ó meu silencioso Amado, fala comigo', Eu virei a ti, Meu devoto."
 Se conseguirem esta resposta uma única vez, nunca mais se sentirão separados dEle. A divina experiência permanecerá para sempre com vocês. Mas esta "única vez" é difícil porque o coração e a mente não estão convencidos; as dúvidas se insinuam por causa de nossas convicções materialistas anteriores."

(Paramahansa Yogananda - Como Falar com Deus - Self-Realization Fellowship - p. 38/41)
http://www.omnisciencia.com.br/colecao-yogananda/como-falar-com-deus.html


quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

A MEDITAÇÃO É A CONCENTRAÇÃO QUE SE EMPREGA PARA CONHECER DEUS

"A meditação é a ciência da realização divina. É a mais prática das ciências do mundo. A maioria das pessoas iria querer meditar se compreendesse o valor dessa ciência e experimentasse seus efeitos benéficos. O objeto final da meditação é alcançar a percepção consciente de Deus e da eterna unidade da alma com Ele. Que realização poderia ser mais importante e útil que atrelar as faculdades humanas limitadas à onipresença e onipotência do Criador? A realização divina confere a quem medita as bênçãos da paz, do amor, da alegria, do poder e da sabedoria do Senhor.

A meditação utiliza a concentração em sua forma mais elevada. A concentração consiste em libertar a atenção das distrações e focalizá-la em algum pensamento em que se tenha interesse. A meditação é a forma especial de concentração em que a atenção foi libertada da inquietude e focalizada em Deus. A meditação, portanto, é a concentração que se emprega para conhecer Deus."

(Paramahansa Yogananda – Paz interior – Self-Realization Fellowship - p. 31/32)


IRRADIE PAZ E BONDADE

"Em geral, existem dois tipos de pessoas: as que constantemente lamentam o que está errado no mundo, e as que sorriem das dificuldades da vida, permanecendo sempre com o pensamento positivo. Por que levar  tudo tão a sério? Que maravilhoso seria o mundo se cada um fosse mais positivo, mais harmonioso!

O teste está na selva da civilização, no estresse da vida moderna. Tudo o que você der, voltará a você. Odeie e receberá ódio em troca. Quando você se encher de pensamentos e emoções desarmoniosos, estará se destruindo. Por que odiar ou ter raiva de alguém? Ame seus inimigos. Por que cozinhar no fogo da ira? Se ficar com raiva, vença-a imediatamente. Dê uma caminhada, conte até 10 ou 15, ou desvie a mente para algo agradável. Abandone o desejo de retaliação. Quando você fica irado, o cérebro se superaquece, o coração tem problemas vasculares, todo o seu corpo se desvitaliza. Irradie paz e bondade, pois essa é a natureza da imagem de Deus em você - sua verdadeira natureza. Então, ninguém poderá perturbá-lo."

(Paramahansa Yogananda - A Eterna Busca do Homem - Self-Realization Fellowship - p. 339)


quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

MINHA SINFONIA INACABADA

"Se a vida eterna fosse uma chegada estática, e não uma jornada dinâmica...

Preferia eu a vida terrestre à vida celeste.

Não me interessa uma parada acabada - interessa-me somente uma jornada inacabada.

Alguém me disse que a vida eterna é um incessante jornadear - rumo ao Infinito.

Um jornadear em linha reta - longe de todos os zigue-zagues.

E esse Alguém é a "voz silenciosa", que me fala, quando eu me calo.

A "voz silenciosa" não é o meu ruidoso ego humano - é o meu silente Eu divino.

É a alma do Universo, que pensa em mim - porque eu e o Universo somos um.

É o Deus do mundo no mundo de Deus.

É a invisível Realidade no meio de todas as facticidades visíveis.

É a voz do Além que me fala em todas as coisas do Aquém.

Essa "voz silenciosa" me disse que sou um eterno viajor - um feliz possuidor e uma feliz buscador.

Feliz por estar na linha reta rumo ao Infinito - e feliz porque o meu finito está sempre a uma distância infinita do Infinito.

Que farias tu, minha alma, se tivesse chegado a uma meta final?

Repousarias nessa eterna aposentadoria celeste?

E não seria essa vida eterna uma morte eterna?

Uma mortífera passividade?

Mas eu sei que minha vida eterna é eterna atividade. 

Por isso sou feliz, por demandar o Infinito - numa fornada sem fim.

Minha vida eterna é uma eterna sinfonia.

Uma sinfonia inacabada.

É o que me diz a "voz silenciosa", que eu escuto com os ouvidos da alma, quando todos os ruídos se calam.

E essa sinfonia não começa após a morte - ela canta em plena vida terrestre, aqui e agora.

Morrer não é um fim nem um começo - é uma simples continuação da mesma vida de hoje, em uma das muitas moradas que há em casa do Pai celeste.

Quem ainda tem medo da morte não começou a viver realmente.

A sinfonia da vida é uma sinfonia eternamente inacabada."

(Huberto Rohden - De Alma para Alma - Ed. Martin Claret, São Paulo - p. 77/78) 


TOMEM REFÚGIO EM DEUS

"DEUS É A ÁRVORE dos desejos. Tudo que o homem pedir, Ele lhe concederá. Mas, tal é o jogo de maya, que o homem não quer encontrar o oceano de felicidade de Deus. Em vez disso, arrastado pelo turbilhão das coisas mundanas, ele se sufoca e pensa que é feliz. Finalmente, depara-se com os sofrimentos do mundo e sente que sua vida foi em vão. Vocês estão sentados sob a árvore dos desejos. Peçam para se tornarem divinos e serão divinos. Peçam para se tornarem brutos e brutos se tornarão.

No reino de maya existe vidya (o que conduz o homem a Deus) e avidya (o que o afasta de Deus). Vidya é discernimento espiritual e renúncia. Procurar refúgio em vidya é o mesmo que procurá-lo em Deus, enquanto avidya, feita de luxúria, ira, ambição, egoísmo, apego e inveja, arrasta o homem ao nível de um bruto. Se cultivarem o discernimento e a renúncia, avidya será destruída. Se se renderem a ela, Deus permanecerá afastado e o sofrimento será sua sina. Vidya e avidya coexistem e o homem tem o poder de escolher uma ou outra. Dependendo da natureza da escolha, sua vida será um êxito ou um fracasso e ele colherá os frutos dessa opção. 

Por que culpar Deus pelos sofrimentos? Dominado pelas paixões do momento, o homem nunca se detém para discernir, e o sofrimento que se segue acaba sendo criado por ele mesmo. Coloquem a mão no fogo e ela será queimada. Será culpa do fogo? Sri Ramakrishna costumava dizer: "O lampião ilumina todos. Sob sua luz uma pessoa pode ser as escrituras sagradas e outra falsificar um cheque. Será isso culpa do lampião?"

(Swami Prabhavananda e Swami Vijoyananda - O Eterno Companheiro - Ed. Vedanta, São Paulo - p. 279)


terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

AMOR - PARTE III

"(§61) A superstição é outro grande mal e tem causado muitas e terríveis crueldades. O homem que é seu escravo menospreza outros que são mais sábios, tenta obrigá-los a agir como ele age. Pensa tu na horrível matança produzida pela superstição de que animais devem ser oferecidos em sacrifício, e pela ainda mais cruel superstição de que o homem necessita de carne para alimentar-se. Pensa nos maus tratos que a superstição destinou para as classes oprimidas em nossa bem amada Índia, e vê como esta má qualidade pode gerar desapiedada crueldade, mesmo entre aqueles que conhecem o dever da fraternidade. Muitos crimes os homens cometeram em nome do Deus de Amor, movidos por este pesadelo da superstição; cuida muito, pois, para que dela não reste em ti o menor vestígio.

(§62) Estes três grandes crimes tens de evitar, pois são fatais a todo progresso, porque pecam contra o Amor. Porém, não deves, deste modo, tão somente refrear o mal; mas tens de ser ativo na prática do bem. Deves estar tão pleno do intenso desejo de serviço, que estejas sempre vigilante para prestá-lo a todos em teu redor - não somente aos homens, mas ainda aos animais e às plantas. Deves prestá-lo em pequenas coisas, cada dia, para que o hábito possa ser formado, a fim de que não possas perder a rara oportunidade, quando a grande obra apresentar-se para ser feita. Pois, se anseias ser uno com Deus, não é por amor a ti próprio, mas para que possas ser um canal através do qual Seu amor possa fluir para chegar aos teus semelhantes.

(§63) Aquele que está na Senda não existe para si mesmo, mas para os outros; esqueceu a si próprio, a fim de poder servi-los. Ele é como uma pena na mão de Deus, através da qual Seu pensamento pode fluir e encontrar uma expressão aqui embaixo que, sem a pena, não poderia ter. É, ao mesmo tempo, como uma vívida pluma de fogo, irradiando sobre o mundo o Amor Divino que enche seu coração.

(§64) A sabedoria que te torna capaz de auxiliar, a vontade que dirige a sabedoria, o amor que inspira a vontade - estas são as tuas qualificações. Vontade, Sabedoria e Amor são os três aspectos do Logos; e tu, que desejas alistar-te para servi-Lo, deves expressar esses aspectos no mundo."

(Krishnamurt – Aos Pés do Mestre – Ed. Teosófica, Brasília)
www.editorateosofica.com.br/loja


DEUS - A ÚNICA REALIDADE


"O que é mau e o que é bom? São termos relativos. O que pode ser bom para uma pessoa pode ser ruim para outra, e o que pode ser maná para uma pode ser veneno para outra. (...) qualquer pensamento, palavra ou ação que afaste de Deus a mente do devoto, rebaixando sua consciência no sentido da inquietude, do desalento, da ira e do ciúme, está errado ou é ruim para esse devoto. Devemos fazer um esforço para viver de tal maneira que pensemos, falemos e façamos somente as coisas que são edificantes para nossa consciência.

É fácil revidar asperamente aos que nos falam com raiva, sentir-nos enciumados quando nos negligenciam ou ignoram, ou ficar embirrados quando sentimos que os outros não nos deram o que consideramos merecido. Entretanto, minha própria experiência tem mostrado que quando aprendemos a aceitar tudo como vindo da mão de Deus – quando sentimos, pela meditação profunda e a constante prática de Sua presença, que em todas as experiências de vida é somente com Deus que temos de lidar -, é possível evitar as armadilhas no caminho da Autorrealização.

Cada alma é feita à imagem de Deus. Suas qualidades de humildade, sabedoria, amor, alegria e bem aventurança já estão dentro de nós. Mas o “eu”, ou ego, faz-nos esquecer nossa verdadeira natureza. Percebemos isso, de novo, detendo-nos conscientemente em nossos atributos divinos inatos."

(Sri Daya Mata – Só o Amor – Self-Realization Fellowship - p. 89)


segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

AMOR - PARTE II

"(§57) Não contente por ter feito todo este dano a si mesmo e à sua vítima, o maledicente tenta, com todas as suas forças, tornar outros homens cúmplices de seu crime. Ansiosamente lhes conta sua perversa história, com a esperança de que nela acreditem; e eles, então, unem-se a ele a enviar maus pensamentos ao pobre sofredor. E isso se repete dia após dia, e é feito não por um homem, mas por milhares. Começas a ver quão vil, quão terrível é este pecado? Tens de evitá-lo por completo. Nunca fales mal de ninguém; recusa ouvir quando alguém falar mal de outrem, porém dize gentilmente: "Talvez isto não seja verdade, e mesmo que seja, é mais amável não falarmos nisso."

(§58) Quanto à crueldade, pode ser de dois tipos: intencional e não intencional. A crueldade intencional consiste em causar dor propositalmente a outro ser vivo; e este é o maior de todos os pecados - obra mais própria de um demônio do que de um homem. Dirias que nenhum homem poderia fazer tal coisa; mas os homens a têm feito frequentemente, e ainda hoje a estão fazendo diariamente. Os inquisidores a fizeram; muitas pessoas religiosas fizeram-na em nome de sua religião. Os vivisseccionistas a fazem; muitos professores de escola a fazem habitualmente. Todas estas pessoas tentam desculpar a sua brutalidade dizendo que é o costume; mas um crime não deixa de ser crime porque muitos o cometem. O carma não leva em conta o costume; e o carma da crueldade é, de todos, o mais terrível. Na índia, pelo menos, não pode haver desculpa para tais costumes, pois o dever de não causar dor é bem conhecido de todos. O destino reservado aos cruéis terá de cair também sobre todos os que intencionalmente matam criaturas de Deus, chamando a isso de "esporte".

(§59) Sei que tu não farias coisas tais como estas; e pelo amor de Deus, quando a oportunidade se oferecer falarás claramente contra elas. Existe, porém, a crueldade no falar tanto quanto no agir; e um homem que diz uma palavra com a intenção de ferir a outrem é culpado deste crime. Isto tu também não farias; mas, às vezes, uma palavra descuidada causa tanta dor quanto uma maliciosa. Deves, pois, estar alerta contra a crueldade não intencional.

(§60) Ela procede, usualmente, da irreflexão. Um certo homem é tão cheio de cobiça e avareza que nunca pensa sequer quanto sofrimento causa a outros pagando-lhes muito pouco, ou por deixar meio famintos sua mulher e filhos. Outro pensa apenas em sua própria luxúria, pouco lhe importando quantas almas e corpos ele arruína para satisfazê-la. Um outro, ainda, somente para poupar-se uns poucos minutos de incômodo, não paga os seus empregados no dia apropriado, sem pensar nas dificuldades que lhes causa. Tanto sofrimento é causado meramente pela irreflexão - por esquecer-se de pensar como uma ação afetará os outros. Porém, o carma nunca esquece, e não leva em conta o fato de que os homens esquecem. Se desejas entrar na Senda, tens de pensar nas consequências do que fizeres, para que não sejas culpado de crueldade irrefletida. (...)"

(Krishnamurt – Aos Pés do Mestre – Ed. Teosófica, Brasília)


O ADVENTO DO REINO DE DEUS

"Prosseguiu Jesus seu caminho, falando do reino de Deus.

Perguntaram-lhe os fariseus quando viria esse reino. Respondeu-lhes Jesus:

- O reino de Deus não vem com aparato exterior; nem se pode dizer: Ei-lo aqui! ou: Ei-lo acolá! porque o reino de Deus está dentro de vós.

A ideia que todos, inclusive os discípulos, formavam do reino de Deus neste mundo era visceralmente errônea. Por mais que Jesus rebatesse as concepções mundanas do reino messiânico, os homens não acabavam de se desiludir, e continuavam a aguardar um domínio político, temporal, de grande expansão e prosperidade, como nos templos de Davi e Salomão.

Uma e muitas vezes inculca Jesus a ideia de que o reino de Deus consiste na realização integral do indivíduo; e isto não se faz com espalhafato e aparato exterior, senão por meio de uma profunda compreensão interior. O reino de Deus principia com autoconhecimento e culmina em autorrealização.

Assim como o fermento penetra toda a massa, sem que ninguém possa ver nem apalpar essa misteriosa força transformadora; assim como o princípio vital de um grãozinho vivo atua ab intrinseco, fazendo crescer a planta, em um lento e progressivo aperfeiçoamento de cada uma das suas células, de cada um dos seus órgãos - assim acontece também com o reino messiânico, aqui no mundo: a sua atividade é toda de dentro para fora; a sua causa é invisível, mas os seus efeitos patenteiam-se aos olhos de todos.

O reino de Deus está dentro de vós!"

(Huberto Rohden - Jesus Nazareno - Ed. Martin Claret, São Paulo - p. 302)


domingo, 17 de fevereiro de 2013

AMOR - PARTE I


"(§50) De todas as Qualificações, o Amor é a mais importante, pois se for bastante forte em um homem, impele-o a adquirir todas as demais, e todas as demais sem o Amor nunca seriam suficientes. Frequentemente é expresso como um intenso desejo pela libertação da roda de nascimentos e mortes, e de união com Deus. Porém, entendê-lo deste modo parece egoísta, e transmite apenas uma parte de seu significado. Não é tanto desejo como vontade, resolução, determinação. Para produzir seu resultado, esta resolução deve preencher de tal modo toda a tua natureza que não deixe lugar para qualquer outro sentimento. É, na verdade, a vontade de ser uno com Deus, não para que possas escapar à fadiga e ao sofrimento, mas para que, por causa de teu profundo amor por Ele, tu possas agir com Ele, e como Ele age. E porque Ele é Amor, tu, se quiseres tornar-te uno com Ele, deves também estar pleno de perfeito altruísmo e amor.

(§51) Na vida diária isto significa duas coisas: primeira, que deves ser cuidadoso para não causar dor a nenhum ser vivo; e segunda, que deves estar sempre vigiando por uma oportunidade de prestar auxílio.

(§52) Primeiro, não causar dor. Há três pecados que causam mais dor do que todos os outros no mundo - a maledicência, a crueldade e a superstição - porque são pecados contra o amor. Contra esses três pecados, o homem que quiser encher seu coração com o amor de Deus, deve vigiar incessantemente.

(§53) Vê o que a maledicência produz. Inicia com um mau pensamento, e este em si mesmo já é um crime. Pois em todos e em tudo existe o bem; em todos e em tudo existe o mal. Podemos reforçar qualquer um deles pelo pensamento, e deste modo podemos auxiliar ou retardar a evolução; podemos fazer a vontade do Logos ou a Ele resistir. Se pensares no mal que existe em outrem, estarás fazendo ao mesmo tempo três ações más:

(§54) (1) Estás enchendo a tua vizinhança de maus em vez de bons pensamentos, e assim estás aumentando a tristeza do mundo.

(§55) (2) Se existir neste homem o mal que imaginas, estás reforçando e alimentando esse mal; e assim estás tornando teu irmão pior em vez de melhor. Geralmente, porém, o mal não existe, e tu o criaste apenas em tua fantasia; então o teu mau pensamento tentará teu irmão acometer erro, pois, se ele ainda não for perfeito, poderás torná-lo tal qual o imaginaste.

(§56) (3) Enches tua própria mente com maus em vez de bons pensamentos; e assim retardas teu próprio crescimento, e tornas-te, para aqueles que podem ver, um objeto feio e penoso em vez de belo e amável. (...)"

(Krishnamurt – Aos Pés do Mestre – Ed. Teosófica, Brasília)


A ORIGEM E O PODER DA MEMÓRIA

"A memória é uma força maravilhosa. Toda memória humana provém da extraordinária memória de Deus. Por exemplo, você não consegue descrever todos os filmes que já viu desde que nasceu; entretanto, se eu lhe mostrasse um daqueles filmes outra vez, você imediatamente lembraria. A memória divina encontra-se latente dentro de você, sempre reconhecendo experiências passadas. Assim que revê a cena inicial, a história inteira volta à sua consciência. (...)

Como se pode reconhecer um filme - em todos os detalhes - visto há muitos anos? É que todos os acontecimento são gravados no cérebro. Assim que você coloca a agulha da atenção no disco de determinada experiência, a memória começa a reproduzir o que foi vivido. Se pergunto onde estava sentado, quando nos reunimos aqui na quinta-feira passada, você se recorda e começa a lembrar-se de outros detalhes também. Se pergunto: "Que foi que eu disse?" - minhas palavras começam a voltar a sua memória.

O poder interno da memória vem de Deus e é perfeito. Nunca esquece. A memória do homem comum não consegue reter a consciência de todas as experiências de uma só vez, mas a memória divina, subjacente, retém tudo, simultânea e permanentemente. Portanto, memória fraca ou forte é uma questão de convicção. Você se convenceu de que tem memória fraca e, por isso, sua memória é fraca. Todavia, não é fácil saltar dessa crença para a oposta. Muito esforço será preciso até que se convença que sua memória é, de fato, uma manifestação da memória de Deus, que tudo recorda.

A memória humana mais excepcional não passa de um empréstimo da consciência ilimitada de Deus, onde estão registradas todas as aventura de todos os seres humanos e de outras formas de vida."

(Paramahansa Yogananda - A Eterna Busca do Homem - Self-Realization Fellowship - p. 62/6)


sábado, 16 de fevereiro de 2013

A SABEDORIA DO QUINTO EVANGELHO


"Disse Jesus: - Quem procura achará; a quem bate abrir-se-lhe-á.

Outros evangelistas acrescentaram: “Quem pede receberá”.

Muitos estranham que o homem deva pedir, procurar, bater, a fim de receber de Deus as coisas necessárias. Será que Deus não sabe do que o homem necessita?

Entretanto, convém lembrar que o Universo só funciona na base do Uno e do verso, do Creador e da creatura, do Doador e do receptor. Essa bipolaridade complementar caracteriza todos os setores do Universo.

O Uno do Infinito é dativo – o Verso dos finitos é receptivo.

Quando o verso é inconsciente, recebe automaticamente do Uno – é o que acontece em toda a natureza infra-hominal: os minerais, os vegetais, os animais, recebem automaticamente do Uno as coisas de que necessitam.

Mas quando o verso é consciente como o homem, o Uno só lhe dá algo na medida da sua receptividade. Essa receptividade, porém, é variável, elástica, proporcional. O homem consciente pode alargar ou estreitar a medida da sua recipiência.

A insistência no pedir, procurar, bater é um convite para que o homem alargue a sua capacidade receptiva, a sua abertura rumo ao Doador. O Uno do Creador só pode dar algo ao Verso da creatura consciente e livre na medida que esta for receptiva.

O Universo é um kosmos, isto é, um sistema de ordem e harmonia; cada creatura deve agir de acordo com a sua natureza. Quem pode, deve; quem não pode, não deve. O homem pode alargar a sua capacidade receptiva; logo deve. Se o homem recebesse algo sem pedir, procurar, bater, seria ele reduzido ao plano dos seres infra-hominais, que nada disto fazem, porque não o podem, e recebem tudo.

Toda esta insistência que os Mestres fazem em qualquer forma de orar ou pedir não tem a finalidade de lembrar a Deus das nossas necessidades; mas visa unicamente a estabelecer em nós as condições humanas para que a causa divina possa agir de acordo com a nossa natureza consciente."

(A Essência da Sabedoria – A Arte de Viver – p. 52/53 – In: O Quinto Evangelho, A Mensagem do Cristo Segundo Tomé, Huberto Rohden, Editora Martin Claret, São Paulo, 1993). 


MANTENHA UM ENCONTRO DIÁRIO COM DEUS

"Nenhum devoto deve faltar a seu encontro diário com Deus. A mente talvez sugira um filme ou outra diversão, mas, quando chega a hora reservada a Deus, mantenha o compromisso sagrado. Do contrário, você demorará muito para encontrá-Lo. (...)

Saindo dos incontáveis véus deste mundo misterioso, o Regente da Criação Se revelará por trás de cada um. Ela fala aos devotos verdadeiros e brinca de esconder com eles. Às vezes, revela subitamente uma verdade confortadora, quando a pessoa tem alguma preocupação. A seu tempo, direta ou indiretamente, Ele atende a todos os desejos de Seus devotos.

A realização de um desejo particular parece necessário somente se alguém não estiver convencido de que pode encontrar a plenitude perfeita em Deus. Quem encontrou a paz em Deus não é torturado por desejos terrenos insatisfeitos. (...)

Só depois de sentir em sua consciência a importância absoluta de Deus é que você O encontrará. Não permita que a vida o engane. Cultive os bons hábitos que garantem a verdadeira felicidade. Adote uma dieta simples, exercite o corpo e medite diariamente – não importa o que aconteça, chova ou faça sol. Se não puder se exercitar e meditar de manhã, faça-o à noite. Reze a Deus todos os dias: “Senhor, mesmo que eu morra, ou que o mundo inteiro se desintegre, encontrarei tempo para estar Contigo diariamente.”

Quem está interessado só em Deus? Pouquíssimos. A maioria quer falar sobre espíritos, milagres, etc. Mas quem conhece Deus ouvirá Dele próprio tudo o que sempre quis saber."

(Paramahansa Yogananda – A Eterna Busca do Homem – Self-Realization Fellowship - p. 428/429)


sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

DISCERNIMENTO - PARTE IV

"(§17) Quando te tornares um discípulo do Mestre, poderás sempre pôr a prova a verdade de teu pensamento colocando-o ao lado do Seu. Pois o discípulo é uno com o seu Mestre, e necessita somente voltar seu pensamento para o do Mestre para ver imediatamente se ambos estão de acordo. Se assim não for, o pensamento do discípulo está errado, e ele deve modificá-lo instantaneamente, pois o pensamento do Mestre é perfeito, porque Ele sabe tudo. Aqueles que ainda não foram aceitos por Ele não podem fazer isso perfeitamente; mas eles podem ajudar grandemente a si mesmos parando frequentemente para pensar: "O que pensaria o Mestre a este respeito? O que diria ou faria o Mestre nestas circunstâncias?" Pois nunca deves fazer, dizer ou pensar o que não possas imaginar o Mestre fazendo, dizendo ou pensando. 

(§18) Deves ser verdadeiro também no falar - exato e sem exageros. Nunca atribuas motivos a outra pessoa; somente seu Mestre lhe conhece os pensamentos, e ela pode estar agindo por razões que nunca entraram em tua mente. Se ouvires algum boato contra alguém, não o repitas; pode não ser verdadeiro, e ainda que o seja, é mais amável nada dizer. Pensa bem antes de falar, a fim de não caíres em inexatidões.

(§19) Sê verdadeiro na ação; nunca pretendas parecer outro senão aquele que tu és, pois todo o fingimento é um obstáculo à pura luz da verdade, que deve brilhar através de ti como a luz do Sol brilha através de um vidro transparente.

(§20) Precisas discernir entre o altruísmo e o egoísmo. Pois o egoísmo possui muitas formas, e quando pensas finalmente tê-lo morto em uma delas, ele ressurge em outra tão forte como sempre. Porém, gradualmente, tu te tornarás em tal medida pleno do pensamento de auxiliar os outros que não haverá mais lugar, nem tempo, para qualquer pensamento sobre ti mesmo.

(§21) Ainda deves discernir de outra maneira. Aprende a distinguir a Deus em todos os seres e em todas as coisas, não importando quanto mal possam aparentar superficialmente. Podes auxiliar o teu irmão através do que tens em comum com ele, que é a Vida Divina; aprende como despertá-la nele, aprende a invocá-la nele; assim tu salvarás teu irmão do erro.”

(Krishnamurt – Aos Pés do Mestre – Ed. Teosófica, Brasília)


PROCURE A ORIENTAÇÃO DE DEUS EM SEU INTERIOR


“Vá até Deus; ore a Ele e chore por Ele até que Deus lhe mostre como funcionam Suas leis e lhe dê orientação. Lembre-se: sentar-se e meditar em Deus até que sinta tranquilidade interior é superior a um milhão de raciocínios da mente. Diga, então, ao Senhor: “Não poderia resolver meu problema sozinho, mesmo que eu tivesse um número ilimitado de pensamentos diferentes; mas posso resolvê-lo colocando-o em Tuas mãos, pedindo primeiro Tua orientação e, em seguida, indo até o fim sem deixar-me desviar ou abater, pensando nos vários ângulos de uma possível solução.” Deus ajuda aqueles que se ajudam. Quando sua mente estiver tranquila e cheia de fé, após orar a Deus em meditação, você será capaz de ver as várias respostas para seus problemas; e, porque a mente está tranquila, você será capaz de escolher a melhor solução. Siga essa solução e terá êxito. Isto é aplicar a ciência da religião na vida cotidiana.”

(Paramahansa Yogananda – No Santuário da Alma – Self-Realization Fellowship - Ed. Lótus do Saber - p. 66)


quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

DISCERNIMENTO - PARTE III

"(§12) Procura verificar o que vale a pena ser feito; e lembra-te que não deves julgar as coisas por sua grandeza aparente. Uma pequena coisa, que seja diretamente útil à obra do Mestre, vale muito mais a pena ser feita do que uma grande coisa que o mundo considere boa. Precisas distinguir não somente o útil do inútil, mas ainda o mais útil do menos útil. Alimentar os pobres é uma obra boa, nobre e útil; porém alimentar suas almas é ainda mais nobre e mais útil do que alimentar seus corpos. Qualquer homem rico pode alimentar o corpo, mas somente aqueles que sabem podem alimentar a alma. Se tu sabes, é teu dever auxiliar outros a saber.

(§13) Por mais sábio que já sejas, nesta Senda ainda terás muito que aprender; tanto que aqui também deve haver discernimento, e tu deves pensar cuidadosamente o que vale a pena ser aprendido. Todo conhecimento é útil, e um dia terás todo o conhecimento; enquanto, porém, tu tiveres somente parte dele, toma cuidado para que essa seja a parte mais útil. Deus tanto é Sabedoria como Amor; e quanto mais sabedoria tiveres mais Ele poderá se manifestar por teu intermédio. Estuda, então, mas estuda em primeiro lugar aquilo que mais te habilite a auxiliar os outros. Trabalha pacientemente em teus estudos, não para que os homens te considerem sábio, nem mesmo para que possas ter a felicidade de ser sábio, mas porque somente os homens sábios podem ser sabiamente úteis. Por muito que desejes auxiliar, enquanto fores ignorante poderás fazer mais mal do que bem.

(§14) Precisas distinguir entre a verdade e a falsidade; tens de aprender a ser verdadeiro em tudo, em pensamento, palavra e ação.

(§15) Primeiro em pensamento; e isto não é fácil, pois há no mundo muitos pensamentos falsos, muitas superstições insensatas, e ninguém que estiver escravizado por eles poderá fazer progresso. Portanto, não deves acolher um pensamento simplesmente porque muitas outras pessoas o acolhem, nem porque se tenha acreditado nele por séculos, nem porque esteja escrito em algum livro que os homens julguem ser sagrado; tu tens de pensar sobre a questão por ti mesmo, e julgar por ti mesmo se ela é razoável. Lembra-te que, embora um milhar de homens concorde sobre um assunto, se eles não souberem nada sobre aquele assunto a sua opinião não tem valor. Aquele que quiser trilhar a Senda tem de aprender a pensar por si mesmo, porque a superstição é um dos maiores males do mundo, um dos grilhões dos quais, por ti próprio, deves te libertar completamente.

(§16) O teu pensamento a respeito dos outros deve ser verdadeiro: não penses a respeito deles aquilo que não saibas. Não suponhas que os outros estejam sempre pensando em ti. Se um homem fizer alguma coisa que imaginas poder prejudicar-te, ou disser alguma coisa que imaginas aplicar-se a ti, não penses imediatamente: "Ele deseja ofender-me." É mais provável que nunca tenha pensado em ti, pois cada alma tem as suas próprias preocupações e seus pensamentos giram principalmente em torno de si mesma. Se um homem te falar iradamente, não penses: "Ele me odeia, ele quer ferir-me." Provavelmente alguém ou alguma outra coisa o deixou irado, e acontecendo encontrar-te, voltou sua ira sobre ti. Ele está agindo insensatamente, pois toda a ira é insensata, mas nem por isso deves pensar sobre ele de modo não verdadeiro. (...)"

(Krishnamurt – Aos Pés do Mestre – Ed. Teosófica, Brasília)


O VIVER NATURAL E O DESNATURAL - PARTE III

"(...) O desejo sexual. Algo mais deveria ser dito aqui a respeito do instinto natural de propagação, que é, depois do instinto de autopreservação, o mais forte no corpo animal. O desejo sexual, como todos os outros desejos, tem um estado normal e um estado anormal ou doentio, resultando este último apenas da matéria estranha acumulada pelo viver desnatural, conforme mencionado acima. No desejo sexual, cada pessoa tem um termômetro exato para indicar a condição de sua saúde. Esse desejo é arrancado de seu estado normal pela irritação dos nervos resultante da pressão de matéria estranha acumulada no organismo, pressão esta que é exercida sobre o aparelho sexual e, a princípio, se manifesta por um aumento do apetite sexual, seguido por uma diminuição gradual da potência.

Em seu estado normal, o desejo sexual torna o homem completamente livre de todas as luxúrias inquietantes e atua no organismo (despertando um desejo de apaziguamento) apenas esporadicamente. Aqui, mais uma vez, a experiência demonstra que esse desejo, como todos os outros, é sempre normal em pessoas que levam uma vida natural como foi mencionado.

A raiz da árvore da vida. O órgão sexual - a junção de importantes extremidades nervosas, particularmente dos nervos simpáticos e espinais (os nervos principais do abdome), os quais, por meio de sua conexão com o cérebro, são capazes de vitalizar todo o organismo - é, em certo sentido, a raiz da árvore da vida. O homem bem instruído no uso apropriado do sexo pode manter o corpo e a mente em perfeita saúde e viver uma vida feliz do começo ao fim.

Os princípios práticos da saúde sexual não são ensinados porque o público encara o assunto como impuro e indecente. Cega dessa maneira, a humanidade atreve-se a cobrir a Natureza com um véu porque esta lhe parece impura, esquecendo-se de que ela é sempre casta e que todas as coisas impuras e inconvenientes estão nas ideias do homem, e não na Natureza em si. É claro, portanto, que o homem não conhecendo a verdade sobre os perigos do abuso do poder sexual e sendo compelido a práticas erradas pela irritação dos nervos resultantes do viver desnatural, sofre doenças perturbadoras durante a vida e, por fim, torna-se vítima da morte prematura.

Habitação do homem. Em segundo lugar, vem o que diz respeito ao nosso local de habitação. Podemos compreender facilmente quando sentimos desprazer ao entrar em um recinto lotado, depois de respirar ar fresco no alto de uma montanha ou na amplidão de um campo ou de um jardim, que a atmosfera da cidade ou de qualquer lugar lotado é um lugar de moradia completamente desnatural. A atmosfera refrescante do topo de uma montanha, ou do campo, ou do jardim ou de uma área seca sob árvores que cobrem um amplo pedaço de terra e livremente ventilada com ar fresco, é o lugar apropriado para o homem morar de acordo com a Natureza.

A companhia que devemos manter. E, em terceiro lugar, é a respeito da companhia que devemos manter. Aqui também, se escutarmos os ditames de nossa consciência e consultarmos nossa inclinação natural, descobriremos de imediato que preferimos aquelas pessoas cujo magnetismo nos afeta harmoniosamente, que acalmam nosso organismo, revigoram interiormente nossa vitalidade, desenvolvem nosso amor natural e, assim nos aliviam de nossos sofrimento e nos proporcionam paz. Isso quer dizer que devemos estar na companhia do Sat ou Salvador, e evitar a do Asat, como descrito anteriormente, Permanecendo na companhia do Sat (o Salvador), somos capazes de gozar perfeito saúde física e mental, e nossa vida é prolongada. Se, por outro lado, desobedecemos à admoestação da Mãe Natureza, sem ouvir os ditames de nossa consciência pura, e mantemos a companhia de tudo o que foi designado como Asat, um efeito oposto é produzido, nossa saúde é prejudicada e nossa vida encurtada.

A necessidade do viver natural e de pureza. Assim, o viver natural é proveitoso para a prática de Yama, as abstenções ascéticas, como explicado anteriormente. Sendo igualmente importante a pureza do corpo e da mente na prática de Niyama (as observâncias ascéticas já explicadas), todo esforço deveria ser feito para alcançar tal pureza."

(Swami Sri Yukteswar - A Ciência Sagrada - Self-Realization Fellowship - p. 66/69)


quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

DISCERNIMENTO - PARTE II

"(§06) Quando há trabalho que precisa ser feito, o corpo físico quer descansar, passear, comer e beber; e o homem que não sabe diz a si mesmo: "Eu quero fazer estas coisas, e preciso fazê-las." Mas o homem que sabe, diz: "Aquele que quer não sou eu, e deve esperar um pouco." Frequentemente, quando há uma oportunidade de auxiliar alguém, o corpo insinua: "Quanto aborrecimento me trará isto, deixemos que outro qualquer o faça." Mas o homem que sabe replica ao seu corpo: "Tu não me impedirás de praticar uma boa ação."

(§07) O corpo é teu animal - o cavalo sobre o qual montas. Portanto deves tratá-lo bem e cuidar bem dele; não deves sobrecarregá-lo de trabalho, deves alimentá-lo corretamente, só com alimentos e bebidas puros, e mantê-lo sempre minuciosamente limpo, sem o menor resquício de impureza. Pois sem um corpo perfeitamente limpo e saudável, não podes realizar a árdua tarefa de preparação, nem podes suportar o seu incessante esforço. Mas deves ser sempre tu quem comanda o corpo, e não ele quem comande a ti.

(§08) O corpo astral tem seus desejos -e os tem às dúzias; ele quer que fiques irado, que digas palavras ásperas, que sintas ciúmes, que sejas ávido por dinheiro, que invejes as posses de outras pessoas, que te entregues à depressão. Ele quer todas estas coisas, e muitas mais, não porque deseje prejudicar-te, mas porque gosta de vibrações violentas, e gosta de mudá-las constantemente. Mas tu não queres nenhuma destas coisas, e portanto deves discernir entre os teus desejos e os de teu corpo astral.

(§09) Teu corpo mental deseja pensar em si mesmo orgulhosamente separado, pensar muito em si mesmo e pouco nos outros. Mesmo quando tu o tiveres desviado das coisas mundanas, ainda tentará especular para si, fazer-te pensar em teu próprio progresso, em vez de pensar sobre a obra do Mestre e em auxiliar os outros. Quando tu meditares, tentará fazer-te pensar sobre as inúmeras diferentes coisas que ele deseja, em vez de pensar na única coisa que tu queres. Tu não és esta mente, mas ela é tua para que a uses; assim, aqui novamente o discernimento é necessário. Tens de vigiar incessantemente, ou falharás.

(§10) Entre o certo e o errado, o Ocultismo não admite acordo. A qualquer custo aparente, tens de fazer o que é certo, e não fazer o que é errado, sem dar importância ao que o ignorante possa pensar ou dizer. Tu deves estudar profundamente as leis ocultas da Natureza, e quando as conheceres organiza a tua vida de acordo com elas, utilizando sempre a razão e o bom senso.

(§11) Precisas discernir entre o importante e o não importante. Firme como uma rocha no que concerne ao certo e ao errado, cede sempre aos outros em coisas de somenos importância. Pois deves ser sempre amável e bondoso, razoável e conciliador, deixando aos outros a mesma plena liberdade que necessitas para ti mesmo. (...)"

(Krishnamurt – Aos Pés do Mestre – Ed. Teosófica, Brasília)