OBJETIVOS DO BLOGUE

Olá, bem-vindo ao blog "Chaves para a Sabedoria". A página objetiva compartilhar mensagens que venham a auxiliar o ser humano na sua caminhada espiritual. Os escritos contém informações que visam fornecer elementos para expandir o conhecimento individual, mostrando a visão de mestres e sábios, cada um com a sua verdade e experiência. Salientando que a busca pela verdade é feita mediante experiências próprias, servindo as publicações para reflexões e como norte e inspiração na busca da Bem-aventurança. O blog será atualizado diariamente com postagens de textos extraídos de obras sobre o tema proposto. Não defendemos nenhuma religião em especial, mas, sim, a religiosidade e a evolução do homem pela espiritualidade. A página é de todos, naveguem a vontade. Paz, luz, amor e sabedoria.

Osmar Lima de Amorim


sexta-feira, 30 de novembro de 2012

O CORPO FÍSICO NÃO É MATÉRIA, MAS ENERGIA


 “A energia que sentimos no corpo implica na existência de um poder superior àquele necessário para simplesmente movimentar o veículo físico individual. O poder da energia cósmica que sustenta os universos está também vibrando em nossos corpos. A Energia Cósmica é um dos aspectos de Deus. Portanto, somos feitos à Sua imagem, até mesmo do ponto de vista físico.

O que é esta energia que temos no corpo? Nosso corpo físico é constituído de moléculas; moléculas são feitas de átomos; átomos são feitos de força vital, ou “vitátrons”, isto é, incontáveis bilhões de minúsculas partículas de energia. Através do olho espiritual pode-se ver o corpo como uma cintilante massa de corpúsculos luminosos – a energia que emana das suas vinte e sete mil bilhões de células. É somente através da ilusão que vemos o corpo como um conjunto de carne e ossos. Na realidade ele não é matéria, mas energia.

É por pensarmos que somos feitos de carne e de sangue que às vezes nos sentimos frágeis. Mas se percebermos a consciência Divina em nosso corpo, compreenderemos que a carne nada mais é do que a manifestação física dos cinco elementos vibratórios: terra, água, fogo, ar e éter.”

(Paramahansa Yogananda – Como falar com Deus – p. 20/21)


SÓ EM DEUS A PAZ É ETERNA, INFINITA, PERFEITA


“Não haverá perfeita paz sem a Realização de Deus.

A paz de que somos capazes ainda não se fez.

Enquanto nos encontramos no estado de separatividade e ilusão, a paz que temos não é mais que passageira trégua dentro do perene conflito, da inquietude e do tédio dominantes.

Só em Deus a Paz é eterna, infinita, perfeita.

É-nos a um tempo convite e promessa.

Ironia: está em nós, e nós...

E nós, quando a seremos?”

(Hermógenes – Mergulho na Paz – p. 54)


À IMAGEM DE DEUS


“Está escrito na Bíblia: “Deus fez o homem à Sua imagem”. Ninguém jamais explicou completamente de que maneira o homem é feito à imagem de Deus. Deus é Espírito; e o homem, em sua natureza essencial, é também Espírito. Este é o significado fundamental da passagem Bíblica, mas existem também outras interpretações verdadeiras.

O corpo humano, com a sua consciência e movimentos, é uma representação microcósmica de Deus. Na consciência estão a onisciência e a onipresença. Num momento vocês podem pensar que estão na estrela Polar ou em Marte. Em pensamento não existe nenhuma distância entre vocês e qualquer outra coisa. Portanto, em virtude da consciência que existe no homem, pode-se dizer que ele foi feito à imagem de Deus.

A consciência está ciente de si mesma. Deus, através de sua Consciência Cósmica, está ciente de si mesmo em cada partícula da criação. “Não são dois pardais vendidos por um vintém? E nenhum deles cairá ao solo sem [ser percebido pelo] teu Pai.”

O homem possui também o poder inato da consciência cósmica, embora poucos a desenvolvam. O homem tem ainda à vontade, por meio da qual, como o Criador, ele também pode instantaneamente criar outros mundos; mas pouquíssimos desenvolvem esse poder latente dentro deles. Os animais não podem raciocinar, mas o homem pode. Todos os atributos que Deus tem – consciência, razão, vontade, sentimento, amor – o homem também tem. Em relação a essas qualidades, pode-se dizer que o homem foi feito à imagem de Deus.”

(Paramahansa Yogananda – Como falar com Deus – p. 18/19)


quinta-feira, 29 de novembro de 2012

AME A DEUS SUPREMAMENTE


“Um renascimento do amor a Deus e do amor ao próximo, enfatizado por Jesus Cristo, traria um espírito de unidade capaz de curar os males deste mundo.

É somente por meio da amizade com Deus que a harmonia e a fraternidade virão à Terra. Quando alguém percebe efetivamente a Presença Divina em sua própria alma, aviva-se nele o amor ao próximo – judeu e cristão, muçulmano e hindu – na consciência de que seu próprio Eu e o Eu de todos são igualmente almas-reflexos de Deus único, que é infinitamente adorável. Programas sociais políticos utópicos trarão poucos benefícios duradouros até que a humanidade aprenda a eterna ciência por meio da qual os seguidores de qualquer religião podem conhecer Deus na unidade da comunhão da alma com o Espírito.

Observar o “primeiro mandamento”, conforme mencionado por Jesus, é a obrigação central da vida humana, e a ela estão subordinadas todas as inúmeras e árduas responsabilidades de que o homem se cerca. Jesus apoiava o mandamento das escrituras “Honra a teu pai e a tua mãe” – mas amando a Deus supremamente. Pai, mãe, amigos, seres amados – todos são dádivas de Deus. Ame o Amor Único que Se oculta por trás de todos os Seus atraentes disfarces. Ame-O em primeiro lugar e acima de tudo; caso contrário, inúmeras vezes Ele visitará seu coração e escapulirá sem ser reconhecido ou recebido.

Estar com Deus agora é de suma importância. O amor de Deus é o único abrigo na vida e na morte. O tempo deve ser empregado da forma mais vantajosa possível; por que não utilizá-lo para recuperar a união com o Criador deste Universo, nosso Pai Infinito?”

(Paramahansa Yogananda – A Yoga de Jesus p. 109/110)


NERVOSISMO, MAL MUNDIAL


“A tranquilidade é o estado ideal com o qual deveríamos receber todas as experiências da vida. O nervosismo é o oposto da tranquilidade, e o seu predomínio hoje em dia faz dele algo muito próximo a uma epidemia mundial.

A melhor cura para o nervosismo é o cultivo da tranquilidade. A pessoa que é naturalmente tranquila não perde o senso de razão, de justiça ou de humor em nenhuma circunstância. (...) 

O equilíbrio é uma bela qualidade. Devemos modelar nossa vida segundo um esquema triangular: a tranquilidade e a doçura são os dois lados; a base é a felicidade. (...) Não importa que a pessoa aja rapidamente ou com lentidão, na solidão ou nos ruidosos mercados apinhados de gente: seu centro deve ser sereno e equilibrado. Cristo é um exemplo desse ideal. Em todos os lugares ele demonstrou ter paz. Passou por todas as provas concebíveis sem perder o equilíbrio.”

(Paramahansa Yogananda – Paz Interior – p. 05/06)


CAMINHA PEREGRINO


“Espinhos e pedras feriram meus pés nus. Mas segui andando, na esperança de algum oásis.

E foi com muitas chagas que alcancei a relva macia: Paz e Amor.

Fecharam-se as feridas.

Meu coração – deslumbramento! – vive poesia, vagueia entre bosques ternos, banha-se em regatos de alegria.

Contigo será o mesmo.

Não te rendas à fadiga nem ao desalento. Não pares. Nem mesmo para te condoeres de teus pés sangrando. Caminha, agora ao relento. Também tu virás a encontrar o teto. Tu também serás remanso. Recebe o aceno das férteis paragens da Paz. O oceano é feito – agora – de dor. Tuas chagas, depois, também fecharão.

Não te detenhas e muito menos retrocedas.

Caminha, peregrino.

Não estás só nem perdido. ”

(Hermógenes – Mergulho na Paz - p. 37/38)


NA FORÇA DE VONTADE ESTÁ O ONIPOTENTE PODER DE DEUS


“Devemos ter fé em nossa capacidade e esperança no triunfo das causas justas. Se não possuímos essas qualidades, devemos criá-las mentalmente, pela concentração. Isto pode ser conseguido com uma prática longa, contínua e determinada.

Felizmente, podemos começar a praticar a qualquer hora e em qualquer lugar, concentrando-nos em desenvolver as boas qualidades em que temos deficiência. Se nos falta força de vontade, concentremo-nos nisto e, pelo esforço consciente, criaremos uma grande força de vontade em nós. Se queremos livrar-nos do medo, devemos meditar sobre a coragem e, no devido tempo, estaremos livres da escravidão do medo. Por meio da concentração e da meditação ficaremos mais fortes. (...)

Afirme sempre: “Nada pode me ferir. Nada pode me abalar.” Perceba que você é tão bom quanto a melhor pessoa, tão forte quanto o homem mais forte. Tenha mais fé em si mesmo.

Quem tem fé na divindade da própria alma, que é a sua verdadeira natureza, e ama a Deus, tendo fé na onipotência divina, logo encontra a liberdade do sofrimento. (…) A luz da fé leva a consciência do escuro âmbito da limitação mortal para o reino da imortalidade.

Fé significa saber e ter convicção de que somos feitos à imagem de Deus. Quando estamos em sintonia com a consciência divina em nós, podemos criar mundos. Lembre-se: na força de vontade está o onipotente poder de Deus.”

(Paramahansa Yogananda – Viva sem Medo - p. 11/13)


quarta-feira, 28 de novembro de 2012

SOU UM SER EM CONSTRUÇÃO


“Eu não sou o que a bondade dos amigos e o entusiasmo dos admiradores fazem de mim.

Também não sou o que a calúnia e a maledicência de alguns de mim espalham.

Uns e outros estão enganados.

Eu também me deixaria enganar se, ingenuamente, aos primeiros, eu respondesse com sorrisos-pagamento e, aos outros, com insultos de contragolpe.

O que realmente eu sou ninguém sabe. Principalmente eu mesmo.”


(Hermógenes – Mergulho na paz – p. 192)


O PODER LIMITADOR DA CONSCIÊNCIA DA MATÉRIA


“Como O encontraram pela primeira vez aqueles que O buscaram? Como passo inicial, fecharam os olhos para interromper o contato imediato como mundo e a matéria, de modo a poderem concentrar-se mais plenamente em descobrir a Inteligência subjacente a ela. Pelo uso da razão, compreenderam que não poderiam contemplar a presença de Deus no seio da natureza por meio das percepções ordinárias dos cinco sentidos. Assim, começaram a tentar senti-Lo em seu interior, por meio da concentração cada vez mais profunda. Acabaram descobrindo como desligar os cinco sentidos, desse modo afastando por completo, temporariamente, a consciência da matéria. O mundo interior do Espírito começou a abrir-se. Deus finalmente revelou-Se a esses seres magníficos da Índia antiga que persistiram firmemente nessas investigações internas. Dessa maneira, os santos começaram, gradualmente, a transformar a concepção de Deus na percepção Dele. Isto é o que você também precisa fazer, se pretende conhecê-Lo.”

(Paramahansa Yogananda – No Santuário da Alma – p. 41/42)


A EXISTÊNCIA QUE TENS É UM EMPRÉSTIMO


“És pó e ao pó voltarás”, ensinaram-me. E eu me deprimi.

“És Deus e esqueceste que és”, disseram-me. E eu me senti feliz.

Caí em dúvida: Então há em mim treva e luz?

Divino e humano?

Glória e miséria?

Infinitude e limitação?

Essência e existência?

Cósmico e telúrico?

Realidade e aparência?

Plenitude e vazio?

Eternidade e impermanência?

Pó e Deus?

Evidentemente que sou joio e trigo.

Céu e inferno.

Grandeza e mesquinhez.

Verdade e mentira.

Liberdade e servidão.

E agora?!...

“A existência que tens é um empréstimo. Aproveita-a para realizares a Essência” foi o que aprendi.

... e o pó deixará de ser.

... e Deus virá a ser.

(Hermógenes – Mergulho na paz - p. 194)


terça-feira, 27 de novembro de 2012

BATALHA PELA VERDADE


"Ninguém chega à Verdade se está iludido. É bom aprender a amar a desilusão. Se te traírem, agradece. A traição te deu maior liberdade e mais proximidade da Meta.


Se teus "mestres", teus dogmas, tuas confortadoras convicções ruíram diante da evidência, não te lamentes.

Agradece aos céus que estão te ajudando a afastar o entulho que atravanca o caminho.

Pisa os fantasmas das antigas crenças como guerreiro engajado na batalha pela Verdade."

(Hermógenes - Mergulho na Paz - p. 87/88)


O ISOLAMENTO É O PREÇO DA GRANDEZA


“Quando tiver acabado de cumprir seus deveres, ao fim do dia, sente-se sozinho em silêncio. Pegue um bom livro e leia com atenção; em seguida medite longa e profundamente. Você encontrará maior paz e felicidade nisso do que nas atividades inquietas em que sua mente corre turbulenta por todas as direções. (...)

Se você cultivar o hábito de passar períodos solitários de meditação em casa, um grande poder e uma grande paz descerão sobre você e ficarão com você em suas atividades e na meditação. O isolamento é o preço da grandeza.

Busque os lugares quietos onde você possa estar a sós regularmente e ficar livre para pensar em Deus. Quando na companhia das pessoas, esteja com elas de todo o coração; dê-lhes seu amor e sua atenção. Mas também reserve tempo para ficar sozinho com Deus.

Todas as pessoas precisam de um retiro, uma bateria de silêncio a que possam ir para a exclusiva finalidade de serem recarregadas pelo Infinito.”

(Paramahansa Yogananda – Paz Interior p. 61/62)



NA BUSCA DA FELICIDADE


“Na busca da felicidade, o homem pobre está melhor do que o rico.

O homem rico, tendo a posse de muitas coisas, já descobriu que a posse não lhe deu o que andou sempre buscando – a felicidade. Ao contrário. O homem de muitas empresas é um escravo delas. Para manter o que tem ou manter o ritmo de seu adquirir, subir e conquistar, perdeu a possibilidade de parar, de repousar, de isolar-se, de meditar, de salvar-se. Para não perder o que conquistou, nunca mais descansará.

Na busca da felicidade, o homem rico está melhor do que o pobre.

O pobre ainda está iludido, supondo que, só adquirindo riquezas, feliz será. E, nesta ilusão, empenha-se em batalhas ansiosas, querendo amealhar bens, isto é, ilusões. 

A vida, para ele, se transforma em luta, em busca de recursos, dos quais, ainda acredita, dependerá ser feliz.”

(Hermógenes – Mergulho na paz – p. 164)


NA TRANQUILIDADE, VOCÊ ENTRARÁ NOS DOMÍNIOS DA INTUIÇÃO DA ALMA



“Ao ser suficientemente desenvolvida, a intuição produz a compreensão imediata da verdade. Você pode ter essa percepção maravilhosa. O caminho é a meditação.

Medite com paciência e persistência. Na tranquilidade, você entrará nos domínios da intuição da alma. Ao longo das idades, os seres que alcançaram a iluminação foram os que recorreram a esse mundo interior de comunhão com Deus. Jesus disse: “Quando orares, entra no teu quarto e, quando tiveres fechado a porta, ora a teu Pai que está em segredo: e teu Pai que vê em segredo te recompensará abertamente.” Vá para o íntimo do Ser, fechando as portas dos sentidos e do envolvimento deles no mundo inquieto, e Deus lhe revelará todas as maravilhas Dele.”

(Paramahansa Yogananda – No Santuário da Alma – p. 39/40)


IGNORÂNCIA, CAUSA DA ILUSÃO


“Temos errado em supor que eu sou um e tu és outro.

Vale a pena escutar a inteligente advertência de um rio que assim falou a outro:

- Não somos dois rios nascidos de fontes diferentes, correndo em leitos diferentes, sem nada ter um com o outro.

Se achamos que não somos um só é porque uma ilha fluvial nos separa e nos ilude. O nome desta ilha é Ignorância.”

(Hermógenes – Mergulho na paz p p. 155)


segunda-feira, 26 de novembro de 2012

BEM-AVENTURADOS OS MANSOS, PORQUE ELES HERDARÃO A TERRA


“Bem-aventurados os mansos, porque eles herdarão a terra” (Mateus 5:5)

“A humildade e a mansidão criam no homem uma receptividade ilimitada para conter a Verdade. Como diz o provérbio “pedra que rola não cria limo”, um indivíduo orgulhoso e irascível rola encosta abaixo a montanha da ignorância e não retém nenhum “limo” de sabedoria, enquanto as almas mansas, permanecendo em paz no vale da vívida boa vontade mental, acumulam as águas da sabedoria que flui de fontes humanas e divinas, para nutrir seu florescente vale de qualidades espirituais.

O arrogante egotista irrita-se com facilidade, mantém na defensiva e é ressentidamente agressivo, rejeitando os emissários da sabedoria que tentam entrar no castelo de sua vida; mas os que são mansos e humildemente receptivos atraem o invisível auxílio dos anjos beneficentes das forças cósmicas, que lhes concedem bem-estar material, mental e espiritual. Assim, os mansos de espírito realmente herdam não apenas toda a sabedoria, mas, juntamente com ela, também a terra – isto é, a felicidade terrena.”

(Paramahansa Yogananda – A Yoga de Jesus- P. 85/86)


BEM-AVENTURADOS OS QUE CHORAM, PORQUE ELES SERÃO CONSOLADOS


“Bem-aventurados os que choram, porque eles serão consolados” (Mateus 5:4)

Referência paralela:

“Bem-aventurados vós, que agora chorais, porque haveis de rir” (Lucas 6:21)


“As agonias da tristeza sofridas pelas pessoas comuns derivam de lamentarem a perda do amor humano ou de posses materiais, ou resultam de frustrações de esperanças mundanas. Jesus não estava louvando essa condição mental negativa que eclipsa a felicidade psicológica e que é totalmente nociva à preservação da bem-aventurança espiritual adquirida por meio de árduos esforços na meditação. Ele falava da divina melancolia resultante do despertar da consciência de que se está separado de Deus, o que cria na alma uma insaciável anseio por unir-se novamente ao Amado Eterno. Aqueles que em verdade choram por Deus, que clamam dolorosa e incessantemente por Ele com um fervor cada vez maior na meditação encontrarão consolo na Sabedoria e Bem-aventurança reveladas por Deus.

Os filhos de Deus que são espiritualmente negligentes passam pelos penosos traumas da vida com ressentida resignação derrotista, em vez de buscarem efetivamente a Ajuda Divina. (...) Aqueles cuja tristeza espiritual se deixa abrandar por realizações materiais voltarão a lamentar-se quando tais frágeis seguranças lhes forem arrebatadas pelas compulsões da vida ou pela morte. Mas os que choram por Deus e pela Verdade, recusando-se a sossegar com qualquer outra dádiva menor, serão consolados para sempre nos braços da Divindade plena da Beatitude.

“Bem-aventurados vós que agora chorais pela realização divina, pois, com vosso anseio determinado, alcançareis êxito. Com a festividade da alegria sempre nova, encontrada na comunhão divina, havereis de rir e regozijar-vos por toda a eternidade!”

 (Paramahansa Yogananda – A Yoga de Jesus- p. 84/85)


QUESTIONAMENTOS


“Orgulhosos cumes das montanhas mais altas, abissais fossas no fundo escuro dos mares, que representais na escala das infinitudes cósmicas e dos diâmetros das galáxias?!

E vós, minhas quedas, minhas glórias, minhas dores e vitórias, esperanças e desenganos, lágrimas e sorrisos, virtudes e defeitos, alegrias e amarguras...?! Que representais na escala do Eterno, Infinito, Absoluto Reino do Ser?!”

(Hermógenes – Mergulho na paz – p. 159)


ONDE TERMINA O MOVIMENTO, ALI COMEÇA A PERCEPÇÃO DE DEUS


“Aprenda a silenciar o corpo e a mente, porque onde termina o movimento, ali começa a percepção de Deus.

(...) Se você deixar água barrenta ficar quieta por muito tempo, o barro se depositará no fundo e a água se tornará clara. Na meditação, quando o barro de seus pensamentos inquietos começa a depositar-se, o poder de Deus começa a refletir-se nas águas claras de sua consciência.

O reflexo da lua não pode ser claramente visto em águas agitadas, mas quando a superfície da água está tranquila aparece um reflexo perfeito da lua. Assim é com a mente quando ela está tranquila, você vê refletir-se claramente a face enluarada da alma. Como alma, somos reflexos de Deus. Quando, por meio das técnicas de meditação, retiramos os pensamentos inquietos do lago da mente, contemplamos a alma, um reflexo perfeito do Espírito, e percebemos que a alma e Deus são um.”

(Paramahansa Yogananda – No Santuário da Alma – p. 51/52)


domingo, 25 de novembro de 2012

OS IDEAIS DIVINOS


“Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque eles serão fartos” (Mateus 5:6)


Referência paralela:

“Bem-aventurados vós, que agora tendes fome, porque sereis fartos” (Lucas 6:21)


“As palavras “sede” e “fome” estabelecem uma metáfora apropriada para a busca espiritual do homem. Primeiro, precisamos ter sede pelo conhecimento teórico de como alcançar a salvação. Depois de saciada essa sede ao aprendermos a técnica prática para efetivamente entrar em contato com Deus, podemos então satisfazer a fome interior da Verdade, banqueteando-nos diariamente do divino maná da percepção espiritual resultante da meditação.

Aqueles que buscam satisfação em coisas materiais descobrem que a sede de seus desejos nunca é mitigada, nem pode sua fome ser jamais saciada com a aquisição de posses. O anseio, presente em cada ser humano, de preencher um vazio interior é o desejo da alma por Deus. Esse desejo somente pode ser apaziguado ao se experimentar a própria imortalidade e o estado imperecível de divindade em união com Deus. Quando a pessoa tolamente tenta saciar a sede de sua alma com as falsificações da satisfação sensorial, ela anda às cegas de um a outro prazer evanescente, rejeitando por fim a todos como inadequados.

Os prazeres sensoriais pertencem ao corpo e à mente inferior; eles não oferecem nenhum sustento ao ser mais íntimo do homem. A inanição espiritual de que sofrem todos os que subsistem das ofertas dos sentidos pode ser aliviada somente por meio da justiça – as ações, as atitudes e os atributos que são legítimos para a alma: a virtude, o comportamento espiritual, a bem-aventurança, a imortalidade.

Justiça significa agir corretamente nos setores, físico, mental e espiritual da vida. As pessoas que sentem grande sede e fome pelo cumprimento dos supremos deveres da existência recebem a bem-aventurança sempre nova de Deus: “Bem-aventurados vós que tendes sede de sabedoria, e que considerais a virtude e a justiça como o verdadeiro alimento capaz de satisfazer vossa fome interior, pois tereis essa perene felicidade que advém somente quando seguimos os ideais divinos – o incomparável contentamento do coração e da alma.”

 (Paramahansa Yogananda – A Yoga de Jesus – 86/87)


O DESPERTAR DA INTUIÇÃO DA ALMA


E, acercando-se dele os discípulos, disseram-lhe: Por que lhes falas por parábolas? Ele, respondendo, disse-lhes: Porque a vós é dado conhecer os mistérios do reino dos céus, mas a eles não lhes é dado. (...) Por isso lhes falo por parábolas: porque eles, vendo, não vêem; e ouvindo, não ouvem nem compreendem. (Mateus 13:10-11, 13).

“Quando os discípulos perguntaram a Jesus por que ensinava o provo com ilustrações sutis de parábolas, ele respondeu: “Porque está determinado que vós, meus verdadeiros discípulos, que viveis uma vida espiritualizada e disciplinais vossas ações de acordo com meus ensinamentos, mereceis compreender – em virtude do despertar interior em vossas meditações - a verdade dos arcanos mistérios do céu e de alcançar o reino de Deus, a Consciência Cósmica oculta por trás da criação vibratória da ilusão cósmica.

“Mas pessoas comuns, despreparadas em sua receptividade, não podem compreender nem praticar as verdades mais profundas da sabedoria. Por meio de parábolas, elas absorvem gradualmente, de acordo com sua compreensão, verdades mais simples, da sabedoria que lhes revelo. Pela aplicação prática do que são capazes de receber, fazem algum progresso para a sua redenção.” (...)

Como podem as pessoas receptivas perceber a verdade, enquanto as não receptivas “vendo, não vêem: e, ouvindo, não ouvem nem entendem”? As derradeiras verdades a respeito do céu e do reino de Deus, a realidade que está por trás da percepção sensorial e para além das cogitações da mente racional, podem ser apreendidas apenas por meio da intuição: despertando-se o conhecimento intuitivo, a pura compreensão própria da alma.” 

(Paramahansa Yogananda – A Yoga de Jesus p. 47/48)


O IMATURO, O ASPIRANTE E O SÁBIO



“O imaturo, iludido, acredita que ele é seu próprio corpo. E, assim, o corpo lhe é cárcere, dono e tirano.

O aspirante à Verdade reconhece que seu corpo é animado pelo Espírito. E, assim luta.

O sábio, sabe que ele é Espírito utilizando um corpo. E, assim, se liberta.”

(Hermógenes – Mergulho na paz – p. 86)




REFUGIE-SE NO TEMPLO ÍNTIMO DO SILÊNCIO

“Todas as noites, permaneça em silêncio tranquilo por pelo menos meia hora, de preferência por muito mais tempo, antes de recolher-se e, novamente, de manhã, antes de começar as atividades do dia. Isto produzirá um indômito e indestrutível hábito interno de felicidade que o tornará capaz de enfrentar todas as situações de provas na batalha da vida cotidiana. Tendo no interior essa felicidade imutável, ocupe-se em procurar atender às exigências de suas necessidades diárias. (...)

Nenhuma língua humana pode narrar a alegria que espera ser descoberta no silêncio que está por trás da mente. Você, porém, precisa convencer a você mesmo; precisa meditar e criar esse ambiente. Aqueles que meditam profundamente sentem uma quietude interior maravilhosa. Essa quietude interna deve ser mantida mesmo quando em companhia de outras pessoas. O que você aprender na meditação, pratique na atividade e na conversa. Não permita que ninguém o desaloje desse estado tranqüilo. Agarre-se à sua paz. (...) Em seu templo íntimo de silêncio, com a intuição desperta, receba Deus.

Deus está no coração e na alma de todos os seres. E quando abrir, dentro de você mesmo, o tempo secreto do coração, você lerá o livro da vida com a intuição da alma, que tudo sabe. Então, e só então, você entrará em contato com o Deus vivo e O sentirá com a própria essência de seu ser. Sem esse sentimento no coração, não haverá resposta à suas orações. Você pode atrair o que as ações positivas e o bom carma lhe permitem ter; entretanto, para receber a resposta consciente de Deus, você precisa, primeiro, alcançar a divina sintonia com Ele.”

(Paramahansa Yogananda – No Santuário da Alma – P. 105/107)


CUIDA PERMANENTEMENTE DE TEU TEMPLO INTERNO


“Deveis vos sentir como frutos do Amor!

Sois feitos à imagem do Creador. Não à imagem externa, como muitos julgam, mas em essência interna, à força que possuis, e que é fruto e parte do Todo Maior que a tudo comanda.

Quando sentires, verdadeiramente, em teu ser essa realidade e tiveres a convicção interna e a fé inabalável em teu verdadeiro Eu, então estarás apta para dar o grande passo para a Iniciação a degraus mais elevados da Evolução Cósmica. Cuida permanentemente de teu Templo Interno. Extirpa de teu interior os ressentimentos, a dor, a inveja, a mágoa, a culpa, o sentimento de inferioridade, as preocupações excessivas, o orgulho, a ganância. Enfeita teu Templo Interno com flores que personalizem o Amor, a Fé e a crença real na Vida Maior e no Creador. Deixa que tua essência brilhe mais e mais a cada dia. Sê a Luz por onde passares. Às vezes é necessário que as pessoas trilhem caminhos longos e tortuosos, que aprendam aos poucos. Pela força nada conseguirás – só através do Amor conseguirás tudo. O Amor é o único Caminho a ser trilhado por todos que almejam a unidade interna e externa. O verdadeiro Amor une. O verdadeiro Amor é livre de conceitos e preconceitos. Onde houver divisão, aí não existe o verdadeiro Amor – portanto, foge desse caminho!! Aprende a ter mais paciência, humildade, perseverança. Jamais de sintas superior a quem quer que seja, pois todos são iguais em importância perante o Creador. Filho nenhum é abandonado ou esquecido.”

(M. Stella Lecocq – Mensagens dos Mestres – de Coração a Coração – p. 266/268)


QUAL É A MELHOR ORAÇÃO?


“Diga ao Senhor: “Diz-me qual é a Tua vontade.” Não diga: “Quero isto ou quero aquilo”, mas tenha fé em que Ele sabe de que é que você necessita. Você verá que vai obter coisas muito melhores quando Ele escolhe para você.

Estabeleça honestamente se sua oração é ou não legítima. Não peça a Deus algo que, pela ordem natural das coisas, seja completamente impossível. Peça apenas necessidades verdadeiras. E saiba a diferença entre “necessidades necessárias” e “necessidades desnecessárias”. (...) Acabe com o desejo de possuir coisas desnecessárias. Concentre-se apenas em suas necessidades reais. Deus é sua maior necessidade. Ele lhe dará não só suas “necessidades necessárias” mas, também, suas “necessidades desnecessárias”. Ele satisfará cada desejo quando você for um com Ele. Seus sonhos mais incríveis se realizarão.

As coisas de que você precisa na vida são as que o ajudarão a realizar seu propósito principal. Coisas que talvez você queira, mas de que não precise, podem desviá-lo desse propósito. O êxito só é atingido fazendo com que tudo esteja a serviço de seu objetivo principal. Considere se a realização do objetivo que você escolheu constituirá o êxito. O que é êxito? Se você tiver saúde e riqueza, mas tiver problemas com toda gente (inclusive você próprio), sua vida não será uma vida bem sucedida. A existência se torna inútil se você não puder encontrar a felicidade. Quando se perde a riqueza, perde-se pouco; quando se perde a saúde, perde-se algo mais conseqüente; mas quando se perde a paz da mente, perde-se o tesouro supremo.”

(Paramahansa Yogananda – No Santuário da Alma – 59/60)


AME A DEUS DE TODO O SEU CORAÇÃO...


“O maior mandamento dado ao homem é amar a Deus de todo o seu coração, e de toda a sua alma, e de toda a sua mente, e de toda a sua força, e, em segundo lugar, amar ao próximo com a si mesmo. Se você os seguir, tudo acontecerá da maneira natural e correta. Não basta ser apenas um moralista estrito. As pedras e as cabras não violam as leis morais; ainda assim elas não têm o conhecimento de Deus. Quando, porém, você ama a Deus com suficiente profundidade, mesmo que seja o maior dos pecadores, você será transformado e redimido. (...) 

Todos os profetas observam esses dois mandamentos principais. Amar a Deus de todo o seu coração significa amá-Lo com o amor que você sente pela pessoa que lhe é mais querida – com o amor da mãe ou do pai pelo filho, ou de quem ama pela pessoa amada. Dirija a Deus essa espécie de amor incondicional. Amar a Deus de toda a sua alma significa que você pode amá-Lo verdadeiramente quando, por meio da meditação profunda, reconhecer-se como alma – um filho de Deus feito à Sua imagem. Amar a Deus de toda a sua mente significa que quando estiver orando toda a sua atenção estará Nele, não distraída pelos pensamentos inquietos. Na meditação, pense apenas em Deus; não deixe a mente vagar por qualquer outra coisa, apenas Deus. Por isso a ioga é importante: capacita-o a concentrar-se. Quando, por meio da ioga, você retira a inquieta força vital dos nervos sensórios e se interioriza no pensamento de Deus, então você O está amando com toda a sua força – todo o seu ser está concentrado Nele.”

(Paramahansa Yogananda – No Santuário da Alma – p. 48/49)


sábado, 24 de novembro de 2012

O QUE É DEUS?


“Deus é Bem-aventurança Eterna. Seu ser é amor, sabedoria e alegria. Ele é tanto impessoal quanto pessoal e Se manifesta no que quiser manifestar-Se, seja o que for, Ele aparece a Seus santos na forma que seja amada por cada um deles: um cristão vê Cristo, um hindu contempla Krishna ou a Mãe Divina, e assim por diante. Os devotos cuja adoração assume a forma impessoal tornam-se conscientes do Senhor como uma Lua infinita ou como o maravilhoso som de OM, o Verbo primordial, ou Espírito Santo. A experiência mais elevada que o homem pode ter é sentir essa Bem-aventurança na qual todos os outros aspectos da Divindade – amor, sabedoria, imortalidade – estão plenamente contidos. Como, porém, lhe posso transmitir em palavras a natureza de Deus? Ele é inefável, indescritível. Somente na meditação profunda é que vocês conhecerão a essência singular Dele.

Numerosas pessoas não pensam no Senhor como sendo pessoal; acham que uma concepção antropomórfica é limitadora. Consideram-No como o Espírito Impessoal, a Onipotência, a Força Inteligente responsável pelo universo.

Se, porém, nosso Criador fosse impessoal, como é que Ele teria criado os seres humanos? Nós somos pessoais, temos individualidade. Pensamos, sentimos, queremos, e Deus nos deu não apenas o poder de apreciar os pensamentos e os sentimentos dos outros, mas de reagir a eles. Certamente, o Senhor não está desprovido do espírito de reciprocidade que anima Suas próprias criaturas. Quando permitirmos, nosso Pai Celestial pode estabelecer e estabelecerá uma relação pessoal com cada um de nós.”

(Paramahansa Yogananda – No Santuário da Alma – 74/75)


INGÊNUA PROTEÇÃO


“Pretendendo, ingênua e inutilmente, proteger seus filhos dos dissabores, das adversidades, dos amargores, das crises, que a vida, naturalmente, tem para dar, alguns pais se empenham em construir-lhes míticos e belos nirvanas artificiais, que não resistem aos assaltos dos vagalhões que se repetem.

Que piedosa traição lhes fazem.”

(Hermógenes – Mergulho na paz - P. 62)


SENHOR, PROTEGE AS CRIANÇAS


“Meu Deus.

Eu bem sei que em Tua Onisciência tudo sabes. Em Tua Justiça fazes o que é para ser feito.

Tu bem sabes que não peço, e não o faço porque sei que me dás o que preciso, dentro do que mereço. Mas, perdoa... Não resisto à tentação de pedir-Te pelas crianças de todo o mundo.

Elas são o futuro. Preserva-as de tudo que possa corrompê-las. Cerca-as com Tuas amorosas vibrações fazendo com que se desenvolvam na maior pureza, não obstante as impurezas que são lançadas em seus caminhos. Faz com que aprendam e, com o que vierem aprender, se tornem não somente bons e honrados profissionais, mas, principalmente, seres humanos harmoniosos, serenos, felizes e cheios de bondade, e, assim, venham a ser pais e esposos exemplares e cidadãos perfeitos. Alimenta as crianças com o mel de Teu Amor, sem o que não aprenderão a amar-Te, amando-Te no semelhante, mesmo naqueles que sejam adversários. Defende-as das guerras, da depravação, da massificação alienadora, de todas as misérias que os adultos pervertidos disseminam. Protege-as contra a poluição do ar, da terra, do mar, das almas. Que não lhes faltem pão, escola, ternura, teto, compreensão, esperança, ar para respirar, beleza para desfrutar, desafio para vencer... Dá-lhes Tua mão-guia a fim de que não se extraviem nos traiçoeiros atalhos fascinantes, nas seduções dos vícios. Dá-lhes tua mão-amparo contra a devastação crescente, de eficiência tecnológica, de sabor psicodélico. Permite que, quando se tornem adultos e envelheçam, ainda conservem algo de pureza infantil, de espontaneidade. Vacina-as contra a mais nefasta das doenças – o egoísmo. Ensina as crianças, meu Deus, a acharem felicidade plena no sorriso agradecido de quem elas vierem a ajudar.

Toma contigo as crianças de todo o mundo.

Amém.”

(Hermógenes – Mergulho na paz – p. 34/35)


A VIDA PARADOXAL DOS AVATARES



“Quando um avatar se aproxima da plenitude da sua realização – então anseia ele por um sofrimento voluntário. De tão liberto de todas as escravidões compulsórias, anseia ele por uma escravidão voluntária.

Quem é pouco livre não gosta de servir – quem é muito livre serve por amor.

Quando um avatar se aproxima do zênite da sua liberdade, desce ele ao nadir da servidão – por amor.

Por amor de quê?

Por amor não só de seus semelhantes ainda não libertos, mas por amor à própria autolibertação ulteriormente realizável.

Somente uma servidão voluntária levará o avatar a uma libertação maior.

O avatar não quer gozar um céu gozado – ele quer gozar um céu sofrido.

O zênite de gozar impele ao nadir do sofrer.

O avatar sabe que a vida não é uma meta final, mas uma jornada em perpétua evolução.

Para o iniciado, sofrimento não é infelicidade – a própria felicidade o impele ao sofrimento. A um sofrimento por amor à sua realização ultra-realizável.

O Cristo, que estava na glória de Deus, não julgou necessário aferrar-se a esta divina igualdade; esvaziou-se dos esplendores da Divindade e revestiu-se da roupagem humana; tornou-se homem, servo, vítima, crucificado; por isto, Deus o exaltou soberanamente e lhe deu um nome que está acima de todos os nomes, de maneira que em nome do Cristo se dobram todos os joelhos, dos celestes, dos terrestres e dos infra-terrestres, e todos confessam que o Cristo é o Senhor.

O Cristo encarnado se tornou um super-Cristo depois de encarnado.

É essa estranha antidromia de todos os grandes espíritos: evolver mediante uma voluntária involução.

Quem quiser ser grande – faça-se pequeno.

Quem quiser subir – desça para subir mais alto.

Quem quiser viver eternamente – morra espontaneamente.”

(Huberto Rohden – De Alma para Alma – 167/168)



DEUS AJUDA AQUELES QUE SE AJUDAM



“Jesus tinha o poder de livrar-se das mãos daqueles que iriam crucificá-lo: “Ou pensas tu que eu não poderia agora orar a meu Pai, e que ele não me daria mais de doze legiões de anjos?”¹ Ele, porém, orava: “Pai, se queres, passa de mim este cálice, todavia não se faça a minha vontade, mas a Tua”.² Para quem não sente essa sintonia numa dada situação, a oração e a afirmação são não só benéficas como também recomendáveis. Elas ajudam a mente e a consciência a ficarem receptivas às bênçãos e à orientação de Deus, reforçando a fé e estimulando a vontade que, por sua vez, desperta a força vital curativa. A oração e a afirmação portanto colocam em operação outra lei cósmica: “Deus ajuda aqueles que se ajudam” .”



(Sri Daya Mata – Só o Amor – p. 106)



  1. Lucas 12:22,20
  2. Lucas 22: 42

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

A JORNADA DO SER


“Não há sabedoria maior do que a convicção de que ainda não sabemos o suficiente e o certo.

Não há maior humildade do que negar-nos a nós mesmos os méritos e prêmios das chamadas boas ações, reconhecendo que o verdadeiro obreiro e merecedor é Aquele que nos utiliza como instrumentos de seu sábio agir.

Não há maior amor do que aquele que devemos devotar ao Supremo, mesmo quando nos encontramos diante de um de seus multifários disfarces menos amáveis, ou nada amáveis.

Não há maior mal do que viver para valorizar o que é apenas miragem, sombra, efêmero – nosso eu.

Não há maior dádiva a pedir a Deus do que Ele conceder desvelar-se diante de nós.

Não há distância mais funesta do que a dor do eu em relação ao EU.

Não há maior ignorância do que supor que cada um de nós é um ser à parte, distanciado, diferente, e indiferente a seu vizinho, seu filho, seu adversário.

Não há maior paz do que aquela que alcançamos quando, com sabedoria, abandonamos a ansiosa “luta” pela paz.

Não há luz maior do que aquela que não conseguimos ver, no entanto onipresente.

Não há maior felicidade do que aquela que já É em nós, e nós ainda não conseguimos gozar.

Não há solidão que nos perturbe tanto quanto a que sentimos em plena multidão alvoroçada.”

(Hermógenes – Mergulho na paz – p. 179/180)


NA ORAÇÃO, ESCUTE


“Não ores, pedindo algo a Absoluta Sapiência. Ela bem sabe o de que precisas e o que te é devido.

Não pretendas ensinar à Onisciência o que deve fazer.

Quando orares, não fales.

Deixa que Deus fale.

Teu silêncio devoto é convite a que Ele fale.

Escuta-o.”

(Hermógenes – Mergulho na paz – p. 91)



PAZ NO LAR


“À medida que você encontrar o reservatório de paz da sua alma, cada vez menos as disputas serão capazes de afligir sua vida.

Lembre-se de que a maior prova por que pode passar a aspiração espiritual da pessoa está no controle dela mesma no ambiente de seu próprio lar – especialmente se esse ambiente for de discórdia. Se a paz interior da pessoa demonstrar, em casa, estabilidade e força, e se ela vencer a disposição querelante dos outros com suas permanentes e belas expressões de amor infinito, então essa pessoa se tornará um príncipe da paz.

Faça de sua casa um lugar de paz.”

(Paramahansa Yogananda – Paz Interior – p. 98)




EGOÍSMO




“O egoísmo é o que nos faz padecer e nos faz causar padecimento aos outros.

Embora querendo nos livrar dele, não o conseguimos.

Está grudado em nós. Entranhou-se em nós.

Em relação ao egoísmo, somos como aquele triste carneirinho que era alérgico à sua própria lã, mas dela não podia se desfazer.”

(Hermógenes – Mergulho na paz – p. 182)






EQUILIBRAR A VIDA ESPIRITUAL E MATERIAL

“O material e o espiritual não são senão duas partes do mesmo universo e da mesma verdade. Ao salientar excessivamente uma parte ou outra, o homem deixa de obter o equilíbrio necessário para o desenvolvimento harmonioso. (...) Pratique a arte de viver neste mundo sem perder a paz mental interior. Siga o caminho do equilíbrio para alcançar o maravilhoso jardim interior da Autorrealização.

Assim como Deus é onipresente no cosmos, mas não é perturbado por sua variedade, também o homem – que como alma é o Espírito individualizado – precisa aprender a participar desse drama cósmico com a mente perfeitamente disposta e equilibrada.

O aspirante espiritual deve contrabalançar a atividade material, que produz inquietude, com a meditação espiritual, que produz tranquilidade.

Aprenda a ser bastante ativo neste mundo e executar um trabalho construtivo. Mas quando tiver acabado de cumprir seus deveres, desligue seu motor nervoso. Retire-se para o centro de seu ser, onde está a tranquilidade. Afirme mentalmente para si mesmo: “Estou tranquilo. Não sou um simples mecanismo nervoso. Sou o Espírito. Embora more neste corpo, não sou afetado por ele”. Se você tiver um sistema nervoso tranquilo, terá êxito em tudo o que empreender e, acima de tudo, terá êxito com Deus.”

(Paramahansa Yogananda – Paz Interior – p. 57/58)


ENCONTRE DEUS EM SI MESMO


“Pratique regularmente a meditação e a comunhão com Deus e você provará do vinho da alegria e da satisfação o tempo todo, não importa quais sejam as circunstâncias externas. Bebendo o néctar da paz interior das mãos do anjo de sua percepção silenciosa, você afogará as perturbações e as tristezas de sua vida cotidiana.

Deus está presente no trono da paz dentro de você. Encontre-O ali primeiro e você O encontrará em tudo o que é bom e significativo na vida: nos verdadeiros amigos, na beleza da natureza, nos bons livros, nos pensamentos profundos e nas aspirações nobres. Encontrando Deus em si mesmo, você saberá que todas as coisas na vida que lhe dão paz duradoura estão proclamando a presença eterna de Deus tanto fora quanto dentro de você. Quando conhecer Deus como paz em seu interior, você O perceberá como a  paz que existe na harmonia universal de todas as coisas externas.”

(Paramahansa Yogananda – Paz Interior – p. 121/122). 


CULTIVE A SUA RELAÇÃO COM DEUS PELA MEDITAÇÃO DIÁRIA


“Por que levar demasiadamente a sério as minúcias superficiais da vida? Fique inebriado com a paz interior da realização divina, qualquer que seja sua sorte terrena.

Seja o homem agitado ou tranquilo, a vida prosseguirá para sempre seu estranho curso. A preocupação,o temor, o desalento só aumentarão o peso do fardo cotidiano. A jovialidade, o otimismo, a força de vontade produzem a solução dos problemas. Assim, o melhor modo de viver é considerar a  vida um jogo cósmico com seus contrastes inevitáveis de derrotas e vitórias. Desfrute os desafios como você o faria ao praticar um esporte, não importando se naquele momento você é vitorioso ou vencido.

Dê a máxima importância a cultivar a sua relação com Deus e a sua felicidade interior por meio da meditação diária, que desperta a alma. Quando você estiver na perfeita tranquilidade da consciência da alma, verá Deus movendo-se em toda a criação. Você não verá mais o mundo como um pesadelo de dificuldades, mas como um espetáculo divertido a ser desfrutado. Então você sorrirá desde as profundidades do seu ser, um sorriso que jamais poderá ser destruído.”

(Paramahansa Yogananda – Paz Interior – p. 119/120).


O REINO DE DEUS ESTÁ LOGO ATRÁS DA ESCURIDÃO DOS OLHOS FECHADOS


“Chame por Deus mentalmente com todo o fervor e sinceridade de seu coração. Invoque-O conscientemente no templo do silêncio e, na meditação profunda, encontre-O no templo do êxtase e da bem-aventurança. (...) Por meio de seus pensamentos e sentimentos, envie-Lhe seu amor de todo o coração, de toda a mente, de toda a alma e de todas as forças. Por meio da intuição da alma, sinta a manifestação de Deus rompendo as nuvens de sua inquietude na forma de grande paz e alegria. A paz e a alegria são as vozes de Deus que por muito tempo estiveram adormecidas sob sua ignorância, desconsideradas e esquecidas no estrépito das paixões humanas.

O reino de Deus está logo atrás da escuridão dos olhos fechados, e o primeiro portão que se abre para ele é a sua paz. Expire e relaxe, e sinta essa paz difundida por toda parte, no interior e no exterior. Mergulhe nessa paz.

Inspire profundamente, expire. Agora esqueça a respiração. Repita comigo: “Pai, silenciados estão os sons do mundo e dos céus.

“Estou no templo da quietude.

“Teu eterno reino de paz espalha-se gradualmente diante de meu olhar. Que teu reino infinito, oculto há tanto tempo por trás das trevas, possa permanecer manifesto em meu interior.

“A paz preenche meu corpo, a paz preenche meu coração e reside em meu amor; paz no interior, paz no exterior, em toda parte.

“Deus é paz, sou filho Dele. Eu sou paz, Deus e eu somos um.

“A paz infinita envolve minha vida e permeia todos os momentos de minha existência. Paz para mim. Paz para minha família, paz para minha nação, paz para meu mundo, paz para meu cosmos.

“Boa vontade a todas as nações, boa vontade a todas as criaturas, porque todos são meus irmãos e Deus é nosso Pai comum. Vivemos nos Estados Unidos do Mundo, e Deus e sua Verdade são nossos líderes.

“Pai Celestial, que Teu reino de paz venha à Terra como está no céu, para que todos nós fiquemos livres das desarmonias que nos dividem e nos tornemos cidadãos perfeitos de Teu mundo, no corpo, na mente e na alma.”

(Paramahansa Yogananda – Paz Interior – p. 37/39)